Tamanho do texto

Presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados e filho do presidente Jair Bolsonaro, ele se encontrará com Orbán e Salvini

Eduardo Bolsonaro
Alan Santos/PR
Eduardo Bolsonaro visitará a Hungria ainda nesta semana e depois seguirá para a Itália

O deputado federalEduardo Bolsonaro (PSL-SP), presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara e filho do presidente Jair Bolsonaro, viaja nesta semana para Hungria e Itália, onde se encontrará, respectivamente, com o primeiro-ministro Viktor Orbán e o vice-premier Matteo Salvini. 

Eduardo Bolsonaro anunciou a viagem nas redes sociais, ao compartilhar uma reportagem sobre o assunto. Próximo do polemista Steve Bannon, ex-estrategista da campanha do presidente americano, Donald Trump, o filho do presidente da República do Brasil tem mantido contato com líderes de extrema-direita para organizar o chamado Movimento.

A organização, baseada em princípios nacionalistas, tem o objetivo de formar um bloco ultraconservador . Segundo a reportagem, Eduardo vai primeiro à Hungria, onde conhecerá o sistema de fechado de imigração naquele país.

Recentemente, o Partido Popular Europeu (PPE) — sigla de centro-direita que detém a maior bancada do Parlamento da União Europeia — suspendeu o Fidesz, legenda comandada pelo premier húngaro, em função de suas políticas contra a liberdade de expressão e de seus frequentes ataques contra líderes do bloco europeu.

Na Itália, além de se reunir com Salvini — que também é ministro do Interior e líder da Liga, partido de extrema direita —, o deputado vai conversar com Alberto Torregiani, filho de uma das vítimas de Cesare Battisti. Após fugir do Brasil, ser preso na Bolívia e extraditado à Itália, Battisti foi condenado à prisão perpétua.

No início do mês, Salvini organizou um encontro com líderes de partidos ultranacionalistas na Itália. Entretanto, dois dos mais influentes políticos da extrema direita não compareceram: a francesa Marine Le Pen, do partido Reunião Nacional (RN), e Orbán

Salvini tenta agrupar forças políticas para as eleições europeias do fim de maio, quando deseja formar uma ampla coalizão de partidos "soberanistas". O evento contou com a presença do líder da alemã Alternativa para a Alemanha (AfD), Jorg Meuthen; do líder do Partido Popular Dinamarquês (DFP), Anders Vistisen; e do integrante do Verdadeiros Finlandeses, Olli Kotro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.