Tamanho do texto

Comitê de ética de Nova Jersey, nos EUA, recomendou suspensão de juiz que questionou se vítima de violência sexual fez algo para impedir agressor

Juiz questiona vítima estupro
Reprodução/Twitter/Tanya Breen
Juiz enfrenta suspensão, após quatro acusações de má conduta

Um comitê de ética de Nova Jersey, nos Estados Unidos, recomendou a suspensão, não remunerada, de três meses de um juiz que perguntou a uma vítima de abuso se ela havia tentado “fechar as pernas”, a fim de evitar que o crime acontecesse. O caso aconteceu em 2016, porém somente nesta semana que a suspensão foi indicada à Suprema Corte do estado.

Leia também: Corte italiana inocenta réu e diz que vítima era “muito feia para ser estuprada”

John F. Russo Jr. Já está de licença administrativa desde o ano passado, já que um relatório de 45 páginas do comitê de ética revela quatro acusações de má conduta contra o juiz de primeira instância do condado de Ocean.

Em uma delas, o texto detalha a conversa entre Russo e a vítima que havia sido violentada e buscava uma ordem judicial contra o seu agressor, que ainda teria feito ameaças de morte à mulher e comentários inapropriados ao seu filho.

Na audiência do caso, o juiz teria ouvido a história da vítima e questionado se ela sabia como impedir que alguém cometesse estupro contra ela. Em resposta, a mulher disse que diria “não” ao agressor, que tentaria feri-lo fisicamente e que fugiria, logo em seguida.

Leia também: Limpador de piscina é condenado a 30 anos de prisão por estuprar crianças no AM

Insatisfeito com a resposta o juiz continuou questionando. "Algo mais? Bloqueie suas partes do corpo? Feche suas pernas? Chame a polícia? Você fez alguma dessas coisas?”. Perguntas as quais a mulher respondeu negativamente. Processado, Russo justificou que estava buscando mais informações sobre o caso e que não estava tentando humilhar a mulher. 

De acordo com o comitê de conduta, o “questionamento do demandante ao juiz Russo dessa maneira era totalmente injustificado, descortês e inadequado”, além disso, a conduta poderia possibilitar que a vítima sofresse uma nova agressão.

Leia também: Tatuador é preso suspeito de abusar sexualmente de ao menos 15 mulheres em BH

A Suprema Corte determinou que fosse realizada uma nova audiência em julho para que sejam movidas as acusações contra o juiz . Além a suspensão, Russo deverá participar de um treinamento para aprender a se “comportar adequadamente no tribunal”.