Tamanho do texto

Oscar Arias Sánchez, de 78 anos, foi denunciado à Justiça e é acusado de abusar sexualmente de três mulheres; caso mais antigo data da década de 80

Ex-presidente da Costa Rica, Oscar Arias, nega acusações de abuso sexual contra mulheres
Reprodução/Twitter/Oscar Arias Sánchez
Ex-presidente da Costa Rica, Oscar Arias, nega acusações de abuso sexual contra mulheres

O ex-presidente da Costa Rica e ganhador do prêmio Nobel da Paz, Oscar Arias Sánchez, de 78 anos, foi denunciado à Justiça e está sendo acusado de ter cometido abuso sexual contra três mulheres: uma médica e duas jornalistas.

Leia também:  Papa Francisco admite que padres e bispos usaram freiras como "escravas sexuais"

A primeira denúncia foi divulgada pela imprensa local na segunda-feira (4). A médica Alexandra Arce von Herold contou ter sofrido abuso enquanto fazia uma visita à casa de Arias, em San José, em dezembro de 2014. Na época, a ativista era chefe da filial, localizada na Costa Rica , de uma ONG internacional para a abolição das armas nucleares, a fim de pedir o apoio do ex-presidente para sua campanha.

Ao semanário Universidad , a médica contou que,l após mostrar seu projeto, Arias teria agarrado Alexandra por trás e tocado em seus seios. A ativista ainda explicou que, após o acontecido, ela foi obrigada a se afastar da direção da ONG para lidar com os graves transtornos que o episódio trouxe para sua vida.

Já os outros dois casos teriam acontecido na época em que Arias ainda era presidente e foram divulgados nesta quarta-feira (6). A jornalista costa-riquenha Eleonor Antillon era assessora de imprensa do dirigente em 1986, durante campanha que elegeu Arias pela primeira vez, quando foi abusada pelo ex-presidente .

Leia também: Morre Sabrina Bittencourt, ativista que ajudou a revelar abusos de João de Deus

"Eu estava sentada em sua mesa, ele se aproximou de mim, pegou minha mão e a colocou em seu pênis, que estava ereto. Eu me levantei e o empurrei e ele se jogou em mim”, contou Eleonor ao jornal local La Nación . A jornalista ainda afirmou que a sociedade não está preparada para acreditar nas mulheres que relatam casos de abuso sexual e, por isso, nunca chegou a denunciar o acontecido.

Já a jornalista britânica e diretora de comunicação da ONG Human Rights Watch, Emma Daly, contou ao The Washington Post que, durante uma visita a Manágua, capital da Nicarágua, na década de 1990, Emma fez uma pergunta a Arias no lobby de um hotel e ao em vez de obter uma resposta, o então presidente tocou em seus seios e disse “você está sem sutiã”.

Nervosa com a situação, Emma não teve reação e tudo o que conseguiu dizer era que estava usando um. Assim como Eleonor, a britânica também não conseguiu denunciar o caso na época, pela falta de atenção que esses tipos de caso recebiam.

Em resposta às acusações de abuso sexual , o advogado do ex-presidente, Rodolfo Brenes, divulgou um comunicado de Arias. "Com respeito às informações publicadas hoje [terça], devo dizer que rechaço categoricamente as acusações que me fazem. Nunca atuei em desrespeito à vontade de nenhuma mulher, menos ainda tratando-se de sua liberdade de relacionar-se com outra pessoa".

Leia também: Enfermeiro é preso por estuprar e engravidar paciente em estado vegetativo

Oscar Arias Sánchez foi presidente da Costa Rica entre 1986 e 1990 e depois foi reeleito em 2006, liderando o país até 2010. O ex-presidente ganhou o Nobel da Paz durante seu mandato, em 1987, por causa de uma intermediação em um plano de paz para a América Central, que resultou em um acordo na Guatemala, em agosto daquele ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.