Tamanho do texto

Chekatt tinha 27 condenações por crimes, incluindo roubos na França, Alemanha e Suíça; Estado Islâmico reivindicou autoria do atentado

Outras cinco pessoas foram presas suspeitas de conexão com o tiroteio na França que matou três pessoas
Reprodução / Twitter/ @mongui
Outras cinco pessoas foram presas suspeitas de conexão com o tiroteio na França que matou três pessoas

O autor do tiroteio na França, que  matou três pessoas em um mercado de Natal de Estrasburgo, foi morto a tiros pela polícia nesta quinta-feira (13). O atirador, de 29 anos, estava foragido desde terça-feira (11). Segundo as autoridades, Chekatt já havia sido condenado em várias ações no país e se tornou um islamista radical na Alemanha enquanto estava preso.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, disse que centenas de policiais franceses e forças de segurança estiveram à procura do autor do tiroteio na França . Outras cinco pessoas foram presas suspeitas de conexão com o ataque. 

O promotor antiterrorista da França, Rémy Heitz, disse que o homem gritou "Allahu Akbar" ("Deus é o maior") enquanto abria fogo. O suspeito estava armado com uma arma e uma faca e escapou da área em um táxi, disse Heitz.

Leia também: Após ataque na França, Trump cobra verba para subir muro na fronteira com México

Chekatt nasceu em Estrasburgo e já era conhecido pelos serviços de segurança. Ele fazia parte da "ficha S", uma lista de pessoas que representam uma ameaça potencial à segurança nacional. Ele tinha 27 condenações por crimes, incluindo roubos na França, Alemanha e Suíça. Autoridades chagaram a encontrar uma granada, um rifle, quatro facas - duas das quais eram facas de caça - e munição na casa do atirador.

A agência de notícias Amaq, na quinta-feira que Chekatt era "um soldado do Estado Islâmico " que "executou a operação em resposta a pedidos de cidadãos de países da coalizão" para combater seus militantes na Síria e no Iraque. A França está em alerta máximo desde 2015, quando o país foi alvo de uma série de ataques terroristas promovidos pelos jihadistas do Estado Islâmico.

Leia também: Maduro liga Brasil a plano para derrubá-lo e acusa EUA de orientar Bolsonaro

Após a confirmação da morte do autor do tiroteio na França , autoridades francesas agradeceram as forças nacionais de segurança. 


    Leia tudo sobre: Estado Islâmico

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.