Tamanho do texto

Outros membros do exército tentam evitar a ação, mas são impedidos; homem teve as chamas abafadas a tempo de não causar queimaduras graves

Ao perceber que Ulianov coloca fogo em seu corpo, outros homens conseguem abafar as chamas
Reprodução
Ao perceber que Ulianov coloca fogo em seu corpo, outros homens conseguem abafar as chamas

Em um vídeo, um ex-soldado ucraniano coloca fogo em seu próprio corpo depois de ter sido demitido do exército. As imagens chocantes foram transmitidas pela televisão ucraniana e mostraram Serhii Ulianov despejando um líquido que parece gasolina antes de incendiar o uniforme do exército.

Leia também: Homem tem sobrancelhas queimadas após acender cigarro enquanto carro pegava fogo

Quando ele coloca fogo em si, chamas começam a cobrir o corpo de Ulianov dos pés à cabeça em questão de segundos. O ato foi qualificado como um protesto, e aconteceu do lado de fora da sede do Ministério da Defesa ucraniano em Kiev, capital do país. 

Veja o momento em que o soldado incendeia o próprio corpo. Cuidado, imagens fortes.


O ato é rápido, mas é possível perceber que pessoas que testemunharam o protesto tentaram impedir que o soldado colocasse fogo em si, mas outras pessoas não deixaram que elas chegassem perto.

Ao ficar em chamas, um outro membro de exército da Ucrânia consegue puxar Ulianov para o chão para apagar o fogo. Bombeiros e outros oficiais pularam para cobrir o ex-soldado, e depois usam um extintor de incêndio para conter as chamas de uma vez.

De acordo com relatos de testemunhas, os militares foram informados dos planos de Ulianov e conseguiram impedi-lo de sua tentativa. Mesmo assim, o soldado consegue se libertar e incendiar o próprio corpo em segundos.

As imagens mostram ele segurando uma garrafa de água cheia de líquido claro - que acredita-se ser a gasolina que ele usou.

Em poucos segundos as chamas se apagaram e o homem agora está sendo tratado em um hospital. A equipe médica informou que o soldado não chegou a sofrer queimaduras graves.

Leia também: Vídeo flagra explosão de ônibus e momentos de pânico no centro histórico de Roma

A mídia local informou que Ulianov estava protestando em nome de um grupo de soldados que foram supostamente dispensados ​​injustamente em 2016.

Ulianov afirmou em um post no Facebook na última segunda-feira (23) que os direitos dos policiais foram violados porque eles não puderam se aposentar legalmente por não terem recebido a devida autorização.

Leia também: Homem acende fogo de artifício em sua bunda e acaba se queimando inteiro; veja

O grupo havia se inscrito em um batalhão voluntário que lutou com terroristas pró-russos no leste da Ucrânia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.