Colégio Enrique Rebsamen, no sul da Cidade do México, desabou durante o terremoto; Frida Sofia estaria dentro da escola
Reprodução/Twitter
Colégio Enrique Rebsamen, no sul da Cidade do México, desabou durante o terremoto; Frida Sofia estaria dentro da escola

A história de Frida Sofia, uma menina de 12 anos que supostamente estava viva sob os escombros de uma escola infantil que desabou após um terremoto no México , foi negada pelo governo mexicano nesta quinta-feira (21). O subsecretário mexicano da Marinha, Angel Enrique Sarmiento, disse que não há mais sobreviventes para ser resgatados.

Em entrevista coletiva, Sarmiento afirmou que se houver algum sobrevivente será uma funcionária da escola. Ao todo foram identificados 19 alunos e cinco adultos. O subsecretário da Marinha do México também ressaltou que, de acordo com os dados oficiais da Secretaria de Educação e dos professores, não há nenhuma criança chamada Frida Sofia entre os alunos da instituição.

No inicio desta quinta-feira (21) a imprensa mexicana havia divulgado que equipes que trabalham no resgate às vítimas do terremoto de terça-feira (19) haviam localizado uma criança de 12 anos viva sob os escombros do Colégio Enrique Rebsamen.

Entre as informações dos jornais locais, a criança conseguia falar com os bombeiros e teria pedido água. Frida ainda teria dito aos bombeiros que está embaixo de uma mesa e que conseguia ver mais duas crianças próximas dela.

Leia também: Cachorro é resgatado após terremoto e gera comoção; assista ao vídeo

No entanto, o nome de Frida Sofia não constava na lista de alunos do colégio e os pais da menina nunca apareceram para receber informações. 

Você viu?

Tragédia representada por mortes infantis

A escola virou símbolo da tragédia provocada pelo terremoto de 7,1 graus que atingiu o país mexicano. Do colégio, os bombeiros já tiraram 37 corpos, sendo 32 de crianças e cinco adultos, que compõem o balanço de 225 mortos do tremor.

Até o momento, foram resgatadas 11 crianças e uma professora com vida, mas 30 pessoas continuam desaparecidas na escola.

O abalo sísmico

O abalo sísmico foi o segundo a atingir o país em menos de um mês. O centro do tremor aconteceu a sete quilômetros ao oeste de Chiautla de Taipa, no estado de Puebla, a cerca de 100 km da capital mexicana.

Além das vítimas fatais, o país contabiliza os danos materiais causados pelos tremores . Pelo menos 49 edifícios desabaram em toda a região atingida, e quase quatro milhões de pessoas ficaram sem energia.

Leia também: Furacão Maria faz 15 mortos em Dominica; Porto Rico ficará no escuro por meses

Além disso, na mesma data, centenas de pessoas relembraram os 32 anos do maior terremoto que já atingiu a Cidade do México . Em 1985, um tremor de 8 graus de magnitude destruiu a capital e deixou mais de 10 mil mortos. 

* Com informações da Ansa

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários