Donald Trump defendeu que encerrar o programa seria
White House/Reprodução
Donald Trump defendeu que encerrar o programa seria "mais atencioso do que deixar os tribunais acabarem" com ele

O presidente Donald Trump decidiu encerrar, nesta terça-feira (5), o programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (Daca, na sigla em inglês), que havia sido criado pelo ex-presidente democrata Barack Obama. O Daca tinha como objetivo a proteção de 800 mil jovens imigrantes da deportação.

Leia também: Putin defende diálogo com Kim Jong-un, que já prepara novo lançamento de míssil

“Estou aqui para anunciar que o Daca, sancionado pela administração de Obama, será rescindido”, anunciou em entrevista coletiva o procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions, um dos membros do governo de Donald Trump com posições mais duras em relação à imigração no país.

Com o anúncio do governo hoje, o Daca será suspenso daqui a seis meses para que o Congresso do país seja forçado a encontrar uma nova alternativa ao problema.  O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, portanto, deve parar de processar os novos pedidos de aplicação ao programa.

“Estão no limbo”

Na última sexta-feira (1°), o presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o republicano Paul Ryan, pediu ao presidente Trump que mantivesse o Daca. “Essas pessoas estão no limbo, são apenas crianças que seus pais trouxeram para cá, que não conhecem outro país e que não têm outro lar. Realmente, acredito que deve haver uma solução legislativa e é nisso que estamos trabalhando. Queremos tranquilizar as pessoas”, disse Ryan, principal liderança do Partido Republicano no Congresso.

Você viu?

Leia também: 'Míssil norte-coreano testado ontem pode atingir até NY', diz especialista

Nos cinco anos, desde que o programa foi instaurado, aproximadamente 800 mil pessoas foram beneficiadas com a proteção do governo, iniciando famílias, seguindo carreiras e estudando em escolas e universidades dos Estados Unidos. A comunidade empresarial e a comunidade educacional, em geral, se uniram aos democratas e a muitos republicanos moderados no apoio ao programa, citando as contribuições para a sociedade e o fato de que muitos dos beneficiados não conheciam outro lar “além dos EUA”.

Em uma declaração feita logo depois que suas agências e procurador-geral anunciaram a decisão de suspender o Daca, o presidente republicano culpou Barack Obama por criar o programa através da autoridade executiva, e também solicitou o Congresso a encontrar uma solução para o problema. “Agora é hora de o Congresso agir!”, disse.

Leia também: Estados Unidos prometem resposta militar maciça em caso de ataque norte-coreano

Donald Trump ainda defendeu que encerrar o programa seria mais atencioso do que deixar os tribunais acabarem com ele, mas enfatizou que o Daca se encontra em sua agenda do “America First”. “Como já disse antes, resolveremos o problema com coração e compaixão - mas através do processo democrático legal – ao mesmo tempo em que asseguraremos que qualquer reforma de imigração que adotemos possa oferecer benefícios duradouros para os cidadãos americanos”, disse. “Nós também devemos ter coração e compaixão para os americanos desempregados e esquecidos”, finalizou.

*Com informações da CNN e da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários