Tamanho do texto

Pelo menos 18 pessoas foram mortas em um ataque realizado por dois criminosos em um estabelecimento turco, em Ouagadougou, capital do país

Ataque em Burkina Faso ocorreu no restaurante Aziz Istanbul, no final da noite deste domingo
Reprodução
Ataque em Burkina Faso ocorreu no restaurante Aziz Istanbul, no final da noite deste domingo

Um atentado terrorista que ocorreu, na noite deste domingo (13), no restaurante turco Aziz Istanbul, em Burkina Faso, na capital em Ouagadougou , deixou 18 mortos e dezenas de feridos. O ataque ocorreu por volta das 21h no horário local.

Leia também: Vítima de atropelamento durante confrontos nos EUA é identificada

De acordo com informações dadas à reportagem da CNN por Remi Dandjinou, ministro de comunicações de Burkina Faso , o  ataque, inicialmente, havia deixado 17 vítimas fatais e oito feridas, mas esse número poderia subir, assim como o fez.

Embora haja suspeita de que o autor do atentado seja de um grupo extremista islâmico, não houve reivindicação imediata de responsabilidade do atentado. Os criminosos  abriram fogo pesado contra o estabecimento frequentado por estrangeiros residentes no país.

Ainda segundo informações iniciais, as forças de segurança do país mataram, pelo menos, dois atiradores. As vítimas permaneceram dentro do prédio onde está o restaurante popular entre estrangeiros. Segundo a CNN , um soldado disse que havia reféns no primeiro e no segundo andar do prédio, durante o ataque.

Leia também: Casa Branca defende Trump e diz que ele criticou supremacia branca e neonazistas

As vítimas são de várias nacionalidades, mas segundo o ministro, um é francês. Um paramédico declarou a agência France-Presse que uma das vítimas fatais é turca. "Levamos 11 pessoas, mas uma delas, turca, morreu assim que chegou no hospital", disse o médico sem se identificar.

Como foi o atentado

O ataque terrorista teve início quando um carro parou em frente ao estabelecimento e os atiradores desceram e começaram a atirar. A polícia evacuou a área antes de começar o contra-ataque com forte troca de tiros.

O ataque trouxe à tona a lembrança do ataque de janeiro de 2016, no mesmo país, quando 30 pessoas foram mortas.

Leia também: Após silêncio do pai, Ivanka Trump se posiciona contra supremacia branca dos EUA

Após falar com autoridades, a embaixada francesa na capital de Burkina Faso recomendou que os franceses evitassem o local. Segundo um depoimento dado à Reuters , uma mulher estava comemorando o aniversário do irmão quando o tiroteio começou. Ela conseguiu escapar, mas o irmão ficou no restaurante. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.