Tamanho do texto

Explosão acidental de dois coletes matou 30 integrantes do Taleban, segundo autoridade do Afeganistão; grupo planejava ataque às forças nacionais

Soldados da Força Nacional do Afeganistão durante treinamento na província de Helmand
Resolute Support Media/Creative Commons
Soldados da Força Nacional do Afeganistão durante treinamento na província de Helmand

Ao menos 30 combatentes do grupo armado islâmico Taleban acabaram mortos após explosão acidental de dois coletes suicidas. O incidente teria ocorrido durante uma reunião do grupo na qual os insurgentes planejavam um ataque contra as forças de segurança do Afeganistão na região oeste do país, segundo reportou nesta sexta-feira  (11) a agência EFE.

Leia também: Fotógrafos registram explosão que provocou suas próprias mortes no Afeganistão

De acordo com um porta-voz do governador da província de Farah, Naser Mehri, um número impreciso de comandantes da célula terrorista do Taleban está entre os mortos no episódio.

"Pelo menos 30 insurgentes morreram depois que dois coletes e outra munição explodiram no distrito de Bala Bolok, na província de Farah", relatou o porta-voz,que não precisou o número de feridos pela detonação.

O porta-voz da facção islâmica, Zabihullah Mujahid rejeitou, em mensagem publicada na sua conta do Twitter, que tenha ocorrido alguma explosão na província de Farah.

Leia também: Crânio de 13 milhões de anos traz dados inéditos da evolução de homens e macacos

A frágil paz no Afeganistão

O Taleban é um movimento fundamentalista que segue vertente radical do islamismo sunita. O grupo nasceu durante a Guerra Fria, na década de 1980, quando os Estados Unidos armaram guerrilheiros islâmicos no Afeganistão após o país situado no Oriente Médio ser invadido pelas forças da União Soviética. 

Mais tarde, o grupo viria a se aliar à Al-Qaeda , facção terrorista fundada por Osama Bin Laden que planejou o atentado de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos. A aliança entre o grupo afegão e os seguidores de Bin Laden permanece até os dias de hoje.

Apesar das relações com grupos extremistas islâmicos de outros países, a atuação do Tabelan está concentrada quase que totalmente no Afeganistão. Em julho deste ano, combatentes do grupo mataram sete pessoas e sequestraram outras seis em uma estrada da província de Farah, uma das mais inseguras do país.

A violência no Afeganistão se intensificou após o final da missão de combate da Organização do Tratado do Atlântico Norte ( Otan ), em janeiro de 2015. Cerca de 13 mil soldados permanecem no país, só que eles hoje desenvolvem somente tarefas de assessoria e capacitação.

Segundo o último relatório do Inspetor Especial para o Afeganistão dos Estados Unidos, a guerra do Afeganistão continua "estancada" com os integrantes do Taleban controlando ou com influência em cerca de 40% do país.

Leia também: EUA concorda em avisar Coreia do Sul antes de ataques à vizinha do Norte

*Com informações da Agência Brasil e da EFE

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.