Tamanho do texto

Os dois chineses suspeitos de participação no atentado do primeiro dia do ano foram presos e acusados de integrarorganização terrorista

Dois chineses foram presos neste sábado (14), na Turquia. Eles são acusados de ter participação no atentado ocorrido na noite de Ano Novo, na boate Reina, em Istambul.

Ataque de atirador em casa noturna de Istambul deixa pelo menos 39 mortos

O atentado, na Turquia , que deixou 39 mortos e 69 feridos já havia sido reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, pouco depois do ocorrido.

Tiroteio na boate Reina deixou 39 mortos e 69 e feridos, menos de duas horas após a virada para 2017
Reprodução/Twitter CNN - 01.01.2017
Tiroteio na boate Reina deixou 39 mortos e 69 e feridos, menos de duas horas após a virada para 2017

Os dois suspeitos chineses presos neste sábado foram identificados como Omar Asim e Abuliezi Abuduhamiti, de acordo com informações da Rádio França Internacional. Ambos foram presos pelas autoridades locais e acusados de comprar armas de fogo sem autorização e também de integrar uma organização terrorista.

Na semana passada, Mevlüt Cavusoglu,  o chefe do ministério turco das Relações Exteriores, anunciou que o responsável pelo atentado já havia sido identificado, mas ele não revelou nem divulgou no o nome nem nacionalidade do potencial responsável.

No entanto, o vice-primeiro-ministro turco declarou que o suspeito era provavelmente de origem uigur, povo de origem turca, que habita parte da China.

Turquia revela novo suspeito de atentado em boate de Istambul

Atentado em boate

Na madrugada da virada do ano, poucas horas após a chegada de 2017, um atirador, supostamente vestido de papai noel, abriu fogo em uma boate em Istambul, na Turquia.

Ao menos 600 pessoas celebravam a virada do ano na boate Reina, bastante conhecida em Istambul. nas primeiras horas de domingo na Reina quando o homem abriu fogo. Antes de entrar na boate, o atirador  matou primeiro um agente de viagens e um segurança, ainda do lado de fora da casa de festas. De acordo com a mídia local, o homem disparou 180 balas ao longo de sete minutos. E depois disso, fugiu, deixando apenas sua arma para trás.

Estado Islâmico assume ataque que matou 39 em Istambul: o que se sabe até agora

Na segunda-feira após o ataque, 2  de janeiro, o grupo extremista autodenominado Estado Islâmico afirmou estar por trás do ataque na boate Reina. A organização terrorista afirmou em um comunicado que o ato foi realizado por um "soldado heróico". 

O Estado Islâmico está ligado a ao menos outros dois ataques ocorridos no fim de 2016, na Turquia, país que vem realizando operações militares contra os militantes do grupo extremista na Síria.

* com informações de Agência Brasil