Tamanho do texto

Autoridades do país já localizaram duas caixas-pretas da aeronave militar, que caiu no dia do Natal logo após a decolagem; 92 pessoas morreram

Avião que caiu na Rússia tinha 33 anos de operação, segundo autoridades do país; piloto era experiente
Divulgação/Tupolev
Avião que caiu na Rússia tinha 33 anos de operação, segundo autoridades do país; piloto era experiente

Equipes da Rússia resgataram afirmaram nesta quarta-feira (28) que foram resgatados 17 corpos e 223 fragmentos o avião militar TupolevTu -154 que caiu na costa de Sochi, no Mar Negro, no último domingo (25). De acordo como Ministério da Defesa, os bombeiros estão trabalhando pelo quarto dia consecutivo nas ações de busca e recuperação dos destroços da aeronave, cuja queda ainda tem causa desconhecida. As informações são da Agência Ansa.

LEIA MAIS:  Queda de avião militar russo no Mar Negro não deixou sobreviventes

De acordo com o governo da Rússia , 13 corpos e 168 fragmentos dos cadáveres já estão no Centro de Medicina Legal em Moscou para análise genética e identificação. Aproximadamente 46 embarcações e mais de 30 aviões e helicópteros participam das buscas. De acordo com Ministério para Situações de Emergência, já foi feito rastreamento em uma superfície de 340 quilômetros quadrados.

Também foram encontradas nesta quarta-feira (28) mais duas caixas-pretas do avião . A primeira, que registra os parâmetros de voo, havia sido recuperada ontem (27). Os primeiros dados obtidos pelos peritos na análise do equipamento ainda não chegaram a uma conclusão sobre o que pode ter provocado a queda.

LEIA MAIS:  Corpos de vítimas da queda de avião russo começam a ser retirados do Mar Negro

As principais hipóteses levadas em conta pela comissão investigadora é a de que a queda possa ter sido provocada por revisão ineficiente da aeronave e erro de pilotagem. A imprensa russa divulgou trechos de um áudio da tripulação com os controladores de voo que demonstra que havia problemas a bordo.

Coral do exército

O acidente deixou 92 pessoas mortas. Entre os ocupantes do avião estavam 64 membros do conjunto Alexandrov (Alexandrov Ensemble), o coral do exército russo, que faria uma apresentação para as tropas que estão na Síria na noite de Ano Novo . Além deles, estavam no avião militares e nove jornalistas.

As autoridades do país informaram que o piloto da aeronave, Roman Volkov, era muito experiente e tinha mais de 3 mil horas. O avião tinha 33 anos de funcionamento, o que é considerado uma idade avançada, mas não é, a princípio, fator determinante para a queda.

LEIA MAIS:  Rússia afasta hipótese de terrorismo após queda de avião militar

Na segunda-feira (26), o primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin , decretou um dia de luto nacional. "Haverá uma investigação aprofundada na região da catástrofe e faremos tudo para fornecer o nosso apoio às famílias das vítimas", explicou.


* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.