Tamanho do texto

Anis Amri saiu da Alemanha e foi para Holanda, França e Itália, segundo informações da polícia nesta quarta-feira (28), dias após a morte do suspeito

Tunisiano de 24 anos, Anis Amri foi apontado como sendo o responsável pela morte de 12 pessoas na Alemanha
Reprodução/ CNN
Tunisiano de 24 anos, Anis Amri foi apontado como sendo o responsável pela morte de 12 pessoas na Alemanha

O principal suspeito pelo ataque terrorista em uma feira de Natal na cidade de Berlim, Anis Amri, que foi morto por policiais em Milão, na Itália, no último dia 23, passou por quatro países europeus depois de ter matado 12 pessoas e ferido outras dezenas.

Segundo dados recuperados pelos investigadores no celular do tunisiano de 24 anos, Anis Amri deixou a cidade alemã, de maneira ainda desconhecida, e se dirigiu para Amsterdã, na Holanda, passando primeiro pelas cidades de Breda, Nijmegen e Zwolle antes de chegar na capital holandesa.

Depois de viajar pelas cidades holandesas, o suposto terrorista pegou um ônibus na estação de Sloterdijk, com destino à cidade de Lyon, ao sul da França. Assim, da estação de Lyon Part-Dieu, ele fez paradas com o trem em Chambery, na região francesa de Savoia, e em Bradonecchia e Settimo Torinese, na região de Piemonte, na Itália.

LEIA MAIS:  Suspeito de ataque em Berlim foi vigiado pela polícia; o que se sabe até agora

Por fim, após parar na região, o suspeito do ataque ainda pegou um ônibus até a Estação Central de Milão e seguiu para Sesto San Giovanni - onde acabou sendo morto por policiais em uma blitz.

De acordo com a explicação dos investigadores, o celular encontrado com o suposto terrorista não teria sido usado, contudo foi possível retirar informações pelo chip, que mostrou o percurso feito por Amri pela Europa. Os dados foram coletados pelos oficiais italianos entre os dias 20 e 23 de dezembro.

Relembre o caso

O tunisiano de 24 anos foi apontado como sendo o responsável pela morte de 12 pessoas ao jogar um caminhão contra o mercado de Natal na cidade de Berlim, na Alemanha, no último dia 19. Depois de ter atacado as pessoas que estavam na feira, o suspeito teria fugido, tendo escapado da polícia do país e chegado até a Itália.

Antes de ele ter sido acusado de terrorismo, outro homem de origem paquistanesa acabou sendo preso pela polícia alemã, que acabou o liberando após encontrar um documento do tunisiano no local do atentado.

LEIA TAMBÉM:  Europa teme que outros mercados de Natal estejam sob a mira do Estado Islâmico

Depois de alguns dias de busca, policiais italianos da cidade de Milão afirmaram ter trocado tiros com um homem na madrugada do dia 23 e, horas depois, confirmaram que a identidade do morto seria, realmente, de Anis Amri.

*Com informações da Ansa.

    Leia tudo sobre: Estado Islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.