Tamanho do texto

Autoridades consideram a possibilidade de que o acidente tenha ocorrido em razão de falha técnica ou humana; todos os 92 passageiros morreram

Avião que caiu na Rússia tinha 33 anos de operação, segundo autoridades do país; piloto era experiente
Divulgação/Tupolev
Avião que caiu na Rússia tinha 33 anos de operação, segundo autoridades do país; piloto era experiente

O ministro dos Transportes da Rússia, Maksim Sokolov, afirmou nesta segunda-feira (26) que, diante das evidências de que a queda de um avião militar no país no último domingo (25) tenha sido provocada por falha humana ou técnica, “a versão do terrorismo não está entre as principais" linhas de investigação. As informações são da agência Sputnik Brasil.

LEIA MAIS:  Avião militar com 92 pessoas a bordo cai no Mar Negro

A aeronave, de modelo Tupolev-155, levava 92 pessoas, entre tripulação e passageiros, havia partido de Sochi, na Rússia , e ia para a Latakia, na Síria, onde os 64 membros do Coral do Exército que estavam a bordo fariam uma apresentação para as tropas que estão na área na noite de ano novo. Além deles, estavam no avião militares e nove jornalistas.

No domingo, as autoridades russas haviam antes descartado a possibilidade da queda se tratar de um atentado terrorista, opção que depois foi novamente analisada. O ministério ainda afirmou que o piloto do avião , Roman Volkov, era muito experiente e tinha mais de 3 mil horas de voo e que a aeronave tinha 33 anos.

LEIA MAIS:  Avião cargueiro cai na Colômbia e deixa cinco mortos; veja vídeo

Segundo o vice-presidente da Comissão Parlamentar sobre a política econômica, Serghiei Kalachnikov, a idade avançada, no entanto, não é prova de que a aeronave não funcionava bem. "Trinta e três anos é um bom tempo, mas não é crítico", declarou à imprensa.

O primeiro-ministro Vladimir Putin decretou para esta segunda-feira um dia de luto nacional. "Haverá uma investigação aprofundada na região da catástrofe e faremos tudo para fornecer o nosso apoio às famílias das vítimas", explicou Putin.

Destroços

Equipes de resgate já encontraram diversos destroços da aeronave no Mar Negro . Em torno de 150 fragmentos foram localizados a 27 metros de profundidade, a cerca de mil milhas da costa, segundo Rimma Thernova, porta-voz da equipe de resgate baseada na estação balneária de Sochi.

LEIA MAIS:  Relatório colombiano aponta avião da Chapecoense com excesso de peso

O Ministério da Defesa da Rússia diz já ter encontrado onze corpos. As operações de busca envolvem 32 navios, cinco helicópteros, um avião e drones. Além disso, 80 mergulhadores foram enviados à área do acidente e 100 serão enviados em breve.


* Com informações da Ansa e da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.