Tamanho do texto

Onze corpos foram resgatados até esta manhã; ministro diz que nenhuma das 92 pessoas a bordo sobreviveu; hipótese de terrorismo não é descartada

Avião russo com 84 passageiros e oito tripulantes caiu no Mar Negro perto de Sochi (local marcado com a seta)
Reprodução/Google Maps
Avião russo com 84 passageiros e oito tripulantes caiu no Mar Negro perto de Sochi (local marcado com a seta)

Onze corpos de vítimas do acidente com um avião militar russo  foram resgatadas durante uma grande operação de buscas realizada nesta segunda-feira (26) no Mar Negro. A queda da aeronave que transportava 84 passageiros e oito tripulantes se deu durante a madrugada do domingo de Natal (25) próximo à cidade de Sochi.

De acordo com a rede CNN, o ministro da Defesa da Rússia confirmou nesta manhã que tudo indica que não houve sobreviventes. Cerca de 3.500 pessoas atuam na operação de buscas na região.

Erro do piloto ou falha técnica

Avião Tupolev-154 já registrou 39 acidentes fatais, embora poucos tenham sido por problemas técnicos
Creative Commons
Avião Tupolev-154 já registrou 39 acidentes fatais, embora poucos tenham sido por problemas técnicos

O Ministério dos Transportes da Rússia informou nesta segunda-feira que a queda do avião aconteceu provavelmente devido a um erro do piloto ou a uma falha técnica.

A aeronave, de modelo Tupolev-155, havia decolado de Moscou e deveria seguir para a base militar russa em Latakia, na Síria, onde o país tem uma grande presença militar. O avião pousou na cidade de Adler, perto de Sochi, para reabastecer e caiu no Mar Negro pouco após decolar novamente.

Até o momento se sabe que o avião não conseguiu ganhar altitude e chegou a fazer uma meia-volta no céu antes de desaparecer dos radares e cair a seis quilômetros da costa, segundo informações da agência Sputnik Brasil.

Estavam a bordo 64 membros do conjunto Alexandrov (Alexandrov Ensemble), o coral do exército russo, que faria uma apresentação para as tropas que estão na Síria na noite de ano novo. Além deles, estavam no avião militares e nove jornalistas.

No domingo, as autoridades russas haviam descartado a possibilidade de a queda se tratar de um atentado terrorista, opção que depois foi novamente analisada. O Ministério russo ainda afirmou que o piloto do avião, Roman Volkov, era muito experiente e tinha mais de 3 mil horas de voo e que a aeronave tinha 33 anos.

De acordo com o vice-presidente da Comissão Parlamentar sobre a política econômica, Serghiei Kalachnikov, a idade avançada, no entanto, não é prova de que a aeronave não funcionava bem.

"Trinta e três anos é um bom tempo, mas não é crítico", declarou a autoridade russa à imprensa.

LEIA TAMBÉM:  Itamaraty segue sem informações sobre brasileiros desaparecidos nas Bahamas

Avião transportava o conjunto Alexandrov (Alexandrov Ensemble), o coral oficial das Forças Armadas da Rússia
Creative Commons
Avião transportava o conjunto Alexandrov (Alexandrov Ensemble), o coral oficial das Forças Armadas da Rússia


O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, decretou para esta segunda-feira um dia de luto nacional. "Haverá uma investigação aprofundada na região da catástrofe e faremos tudo para fornecer o nosso apoio às famílias das vítimas", explicou Putin.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.