Tamanho do texto

Grupo extremista islâmico se escondia na floresta de Sambisa; operação para expulsar os milicianos durou semanas e foi concluída nesta sexta-feira (23)

Autor de diversos atos terroristas, grupo Boko Haram ganhou notoriedade após sequestro de 276 meninas
Nigerian Army/Divulgação - 24.03.2016
Autor de diversos atos terroristas, grupo Boko Haram ganhou notoriedade após sequestro de 276 meninas

O Exército da Nigéria anunciou ter expulsado os milicianos do grupo extremista islâmico Boko Haram do seu último reduto no país, na floresta de Sambisa. O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, afirmou em uma nota que a operação militar ocorreu durante esta sexta-feira (23) e terminou com a captura do bastião-chave do Boko Haram.

A derrota do grupo extremista vem depois de semanas de uma ofensiva militar para reconquistar o território dominado pelo grupo, considerado terrorista e autor de uma série de ataques a civis e sequestros. "Eu fui informado pelo chefe do Exército de que o campo caiu por volta das 13h35 de sexta-feira, dia 23 de dezembro", disse o presidente nigeriano.

LEIA TAMBÉM:  Boko Haram liberta 21 meninas sequestradas há mais de dois anos na Nigéria

Os terroristas fugiram e já não têm mais lugar para se esconderem", completou o mandatário. O Boko Haram é uma organização fundamentalista islâmica que atua principalmente no norte da Nigéria e tenta implantar a sharia (lei islâmica) no país.

Na tradução do nome em árabe, Boko Haram significa "a educação não-islâmica é um pecado". O grupo intensivou sua atuação de 2002 até hoje e estima-se que tenha entre 7 mil e 10 mil combatentes. Já cometeu vários atentados terroristas contra escolas e igrejas e sequestrou mais de 276 meninas.

Em 2015, o Boko Haram controlava um território de tamanho aproximado ao da Bélgica. Mas o Exército da Nigéria conseguiu recuperar as terras com uma série de operações militares.

LEIA TAMBÉM:  França organiza esquema de segurança para evitar atentados no Natal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.