Tamanho do texto

Suspeito tem antecedentes e é considerado perigoso; investigações partem de um documento encontrado sob o banco do motorista, dentro do caminhão

No Twitter, a polícia de Berlim informou que o balanço é de 12 mortos e 48 pessoas feridas em hospitais
Reprodução/Twitter
No Twitter, a polícia de Berlim informou que o balanço é de 12 mortos e 48 pessoas feridas em hospitais

A polícia alemã está a procura de um tunisiano que é agora o novo suspeito por envolvimento no atentado contra um mercado de Natal em Berlim, na noite da última segunda-feira (19) .

De acordo com o especialista em terrorismo Holger Schmidt, fontes da investigação informaram que o suspeito teria 21 anos de idade. Os jornais Bild , Allgemeine Zeitung de Mainz e Der Spiegel , no entanto, citam o tunisiano como um homem que tem entre 21 e 24 anos e é conhecido por três nomes diferentes.

A busca pelo novo suspeito começou após a descoberta de um documento de identidade que estava no caminhão. O documento é um papel expedido para um migrante ao qual foi negado o pedido de asilo sem que, por isso, fosse expulso.

De acordo com a agência de notícias AFP , o documento foi expedido pelas autoridades locais de Kleve, uma cidade da Renânia do Norte-Westfalia, situada na fronteira com a Holanda. Segundo o site da revista Spiegel , o indivíduo é originário de Tataouine.

Os investigadores encontraram o documento debaixo do banco do motorista, na cabine do caminhão jogado intencionalmente contras uma feira natalina, causando a morte de 12 pessoas. Outras 48 pessoas ficaram gravemente feridas após o atentado.

O suspeito tem antecedentes, precisamente um delito por lesões corporais, e é considerado perigoso por estar vinculado a uma grande rede extremista, segundo o Bild.

Suspeito paquistanês foi liberado

O homem de 23 anos, que foi detido na noite desta segunda-feira (19) , apontado como principal suspeito pelo ataque terrorista na cidade de Berlim foi liberado pela polícia por falta de evidências.

Segundo o canal CNN , os investigadores alemães afirmaram que “não existem provas suficientes contra o suspeito”.

Segundo os oficiais, o paquistanês que foi detido pode não ser o motorista do caminhão que entrou em uma feira de natal, atropelando e matando 12 pessoas, além de ferir outras 48. 

"Até onde eu sei, não se pode ter certeza de que [ele] era o motorista. Estamos particularmente alertas. Por favor, esteja também alerta", disse o comandante da polícia de Berlim, Klaus Kandt. Antes de o Estado Islâmico reinvidicar o ataque , a polícia tinha informado que o suspeito foi preso após ser perseguido por cerca de 2 km por uma testemunha, que manteve contato por telefone com a polícia.

* Com informações da Agência Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.