Tamanho do texto

Boeing 727 se acidentou logo após decolar do aeroporto de Puerto Carreño, próximo à divisa com a Venezuela; apenas uma pessoa foi resgatada com vida

Avião da empresa Aerosucre caiu logo após decolar do aeroporto de Puerto Carreño, próximo à fronteira com Venezuela
Reprodução/Youtube
Avião da empresa Aerosucre caiu logo após decolar do aeroporto de Puerto Carreño, próximo à fronteira com Venezuela

Um Boeing 727 caiu logo após decolar do aeroporto de Puerto Carreño, cidade colombiana localizada a poucos metros da fronteira com a Venezuela. O acidente ocorreu na terça-feira (20) e deixou cinco pessoas mortas. O avião de carga pertencia à empresa Aerosucre e seguiria viagem para Bogotá, capital da Colômbia.

LEIA MAIS:  Confirmada a morte das 47 pessoas a bordo de avião que caiu no Paquistão

O avião , cujo prefixo era HK-4544, caiu a menos de dez quilômetros do aeroporto Germán Olano. A queda foi filmada por diversas pessoas que estavam próximas à pista do terminal aéreo. Os primeiros trabalhos de resgate, inclusive, foram feitos pela população local.

Segundo as autoridades aeronáuticas da Colômbia, o acidente , ocorrido às 17h23 (horário local), provocou a morte do piloto, Jaime Cantillo; do copiloto, Mauricio Guzmán; do engenheiro de voo, Pedro Duarte; e de outros dois tripulantes: Felipe Vargas e Nelson David Rojas. O técnico de voo Diego Armando Vargas Bravo sobreviveu e foi resgatado ao Hospital San Juan de Dios, na mesma cidade.

LEIA MAIS:  Avião com equipe de reality show cai no Oceano Pacífico

A Força Aérea da Colômbia informou que o Departamento de Aviação Civil do país está investigando as causas do acidente.

Chapecoense

O acidente com o Boeing da Aerosucre ocorreu menos de um mês depois da queda da aeronave da empresa LaMia, da Bolívia, que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, também na Colômbia, onde o time disputaria o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana. O Avro RJ85 caiu próximo ao aeroporto da cidade, deixando 71 mortos e seis feridos.

Nesta semana, o governo boliviano culpou a LaMia e o piloto da aeronave, Miguel Quiroga, pela tragédia . De acordo com as investigações, o acidente ocorreu porque o veículo não continha a quantidade necessária para o trajeto – de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, para Medellin.

Entre as vítimas fatais da queda do avião estavam jogadores, diretores e integrantes da comissão técnica da Chapecoense, além de jornalistas e tripulantes. Os sobreviventes foram o goleiro Jackson Follmann, o lateral esquerdo Alan Ruschel, o zagueiro Neto, o jornalista Rafael Henzel, o técnico da aeronave Erwin Tumiri e a comissária de bordo Ximena Suarez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.