Tamanho do texto

Mensagem tradicional da Igreja Católica foi enviada nesta segunda-feira pelo Dia Mundial da Paz, celebrado em 1º de janeiro; veja o que Francisco disse

Papa destaca liderança feminina e condena armas nucleares
ANDREAS SOLARO / AFP
Papa destaca liderança feminina e condena armas nucleares

O Papa Francisco enviou uma mensagem aos fieis de todo o mundo nesta segunda-feira (12), abordando alguns assuntos em relação ao Dia Mundial da Paz, celebrado no próximo dia 1º de janeiro. O líder católico destacou líderes femininas, repudiou a violência doméstica contra mulheres e crianças, além de ter se colocado de maneira crítica em relação às armas nucleares.

LEIA MAIS: Papa Francisco diz que padres podem perdoar casos de aborto

Na mensagem ao 50º Dia Mundial da Paz, o papa desejou paz a todos os povos e nações do mundo, aos chefes de Estado e de Governo, lembrando também das comunidades religiosas e de outras expressões das sociedades civis. Um dos destaques do líder católico foram as mulheres, especialmente aquelas líderes pacifistas, que fizeram grandes avanços em todo o mundo.

“A não violência praticada com decisão e coerência produziu resultados importantes”, disse, citando alguns nomes como o de Madre Teresa de Calcutá, Leymah Gbowee, Ghaffar Khan e Martin Luther King.

LEIA TAMBÉM:  Papa Francisco leva moradores de rua para passar dia em praia

“Desejo paz a todos os homens, mulheres, meninos e meninas. Finalmente ficou claro que a paz é o único e verdadeiro caminho do progresso humano, e não as tensões de ambiciosos nacionalismos, não as conquistas violentas, não as repressões de falsas ordens civis”, disse.

A mensagem do Dia Mundial da Paz é assinada tradicionalmente no dia 8 de dezembro pelo líder religioso, sendo divulgada pela Santa Sé antes do Natal. Neste ano, o texto tem cinco páginas e leva o título “A não violência: um estilo de política pela paz”.

Outro apelo do Papa Francisco foi contra as armas nucleares, além de ter pedido pelo desarmamento em todo o mundo. Para tanto, o líder da Igreja Católica escreveu aos responsáveis por países e comunidades. “Faço um chamado pelo desarmamento, pela proibição e pela abolição das armas nucleares. A dissuasão nuclear e a ameaça de destruição recíproca não podem fundamentar este tipo de ética”, afirmou.

LEIA MAIS:  Papa Francisco pede o fim da pena de morte

“Com igual urgência, sugiro que seja interrompida a violência doméstica e o abuso contra mulheres e crianças”, ressaltou Papa Francisco na mensagem tradicional da Igreja.

 *Com informações da Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.