Tamanho do texto

Jornal chinês comparou o republicano a uma criança; Ministério das Relações Exteriores de Pequim disse que país está "muito preocupado"

Donald Trump EUA
Reprodução/Youtube
Donald Trump EUA

As últimas declarações do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, deixaram a China "muito preocupada", admitiu o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Pequim, Geng Shuang, nesta segunda-feira (12).

LEIA TAMBÉM:  Trump diabólico? Internauta descobre 'mensagem subliminar' em capa de revista

De acordo com a agência Reuters , o chanceler ressaltou, em uma coletiva de imprensa, que a possibilidade de Trump rever as relações entre EUA e Taiwan – que é considerado um território rebelde pela China – "atingirá pesadamente" o relacionamento entre Washington e Pequim.

"Uma violação do príncipio de 'China única' atingiria pesadamente o relacionamento entre Pequim e Washington, já que o respeito a este princípio tem sido o fundamento das relações bilaterais em mais de três décadas de contatos diplomáticos", comentou o chanceler.

A reação de Shuang diz respeito às declarações feitas por Trump, ao programa Fox News Sunday,   após ele gerar um protesto diplomático da China por sua decisão de aceitar um telefonema da presidente de Taiwan em 2 de dezembro.

"Entendo totalmente a política de 'China única', mas eu não sei o motivo de termos que estar sujeitos a uma política de 'China única' a não ser que façamos um acordo com a China tendo que fazer outras coisas, incluindo comércio", disse Trump à Fox .

VEJA AINDA:  Trump afirma que deixará gestão de empresas para se dedicar à vida política

O telefonema de Trump com a presidente Tsai Ing-wen foi o primeiro contato com Taiwan por um presidente eleito ou em exercício dos EUA desde que o presidente Jimmy Carter alterou o reconhecimento diplomático de Taiwan para a China em 1979, vendo Taiwan como parte da "China única".

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, durante uma conversa telefônica com o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, no dia 2 de Dezembro, em Taipei
Agência Brasil
A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, durante uma conversa telefônica com o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, no dia 2 de Dezembro, em Taipei

Desde que foi eleito, em 8 de novembro, Trump vem dando declarações que alfinetam a China ou contrariam os interesses do gigante asiático, que tem sido um forte parceiro comercial dos Estados Unidos há décadas.

O magnata republicano já prometeu também que irá revisar acordos comerciais e alterar tratados.

"Ignorante", "imaturo" e "inexperiente"

A imprensa chinesa também tem reagido às falas de Trump.

E MAIS:  Acusação de interferência russa nas eleições dos EUA é "ridícula", diz Trump

O jornal controlado pelo Partido Comunista, o Global Times , disse que o republicano é "ignorante como uma criança", "imaturo e inexperiente". Em um editorial, o jornal disse: "Trump, escute claramente: a 'China única' não pode ser negociada".

* Com informações da Agência Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.