Tamanho do texto

Os ataques suicidas coordenados foram reivindicados pelo grupo terrorista Boko Haram, que tem travado uma batalha para criar um Estado com leis islâmicas no nordeste do país

O grupo terrorista Boko Haram também atacou a Nigéria em janeiro deste ano
Nigeria Newsdesk/Reprodução - 30.01.2016
O grupo terrorista Boko Haram também atacou a Nigéria em janeiro deste ano

Duas mulheres cometeram um ataque suicida, se explodiram em um mercado na cidade de Madagali, no Nordeste da Nigéria, deixando ao menos 57 mortos e 177 feridos, entre eles 120 crianças, na sexta-feira (10).

+ Trem descarrila, explode e deixa, ao menos, cinco mortos na Bulgária

O ataque  suicida  coordenado foram reivindicados pelo grupo terrorista Boko Haram, que tem travado uma batalha para criar um Estado com leis islâmicas no nordeste do país. De acordo com o major Badare Akintoye, porta-voz de uma unidade do Exército na cidade vizinha de Mubi, os ataques foram realizados simultaneamente pelas estudantes em duas entradas do mercado hortifruti.

O grupo terrorista tem realizado com frequência ataques suicidas com bombas em áreas cheias de pessoas. "Agentes da segurança assumiram a área para evitar que inimigos realizassem outro ataque", completou Akintoye.

Atentados terroristas

De acordo com o relatório sobre segurança do Instituto para a Economia e a Paz, os atentados terroristas chegaram a matar aproximadamente 4.940 pessoas na Nigéria, só no ano passado. Depois do Iraque e Afeganistão, é considerado o terceiro país com mais vítimas mortais. Em 2015, Nigéria, Chade, Camarões e Níger criaram uma força multinacional para coordenar uma ofensiva ao redor do lago Chade, zona fronteiriça dos quatro países. Desde então, o Boko Haram sofreu várias e importantes derrotas. 

No dia 30 de novembro, o Conselho de Paz e Segurança da União Africana acordou renovar durante outros 12 meses o mandato desta força, que não conseguiu deter os atentados.

Madagali

Os serviços de saúde ainda não terminaram de evacuar o local e transferir os feridos aos hospitais próximos e o número de mortos só será confirmado nas próximas horas. O presidente da autoridade local pediu reforço ao governo, nas áreas próximas a população, colocando o Exército onde aparentemente há assentamentos do grupo terrorista Boko Haram.

Não é a primeira vez que Madagali sofre um atentado terrorista grave. O último deles, inclusive, foi na mesma época, em dezembro de 2015, no mesmo mercado, e foram registrados 30 mortes causadas por outra dupla explosão suicida.

* Com informações da Agência Brasil

LEIA TAMBÉM:

+ Exército da Síria volta a atacar e civis evacuam Aleppo

+ “Nunca mais um homem te olha”, disse ex que mordeu rosto de britânica 21 vezes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.