Tamanho do texto

Batizado de "Calexit" em referência ao referendo britânico "Brexit", o movimento nos Estados Unidos apresentou uma proposta ao procurador-geral do estado para debate público a ser realizado em março de 2019

Vitória de Trump nas eleições reaqueceu o sonho do grupo de tornar a Califórnia um país soberano e independente
Facebook/ Donald J. Trump/ Reprodução
Vitória de Trump nas eleições reaqueceu o sonho do grupo de tornar a Califórnia um país soberano e independente

Os partidários do movimento pela independência da Califórnia, batizado de "Calexit", deram o primeiro passo para sua tentativa de secessão dos Estados Unidos ao apresentar uma proposta de um referendo a ser realizado em março de 2019 ao escritório do procurador-geral do estado americano. 

LEIA MAIS: Brexit: quem pode lucrar com a decisão britânica de sair da União Europeia?

O pedido para a realização do Calexit ocorre no mesmo ano em que a população do Reino Unido decidiu deixar a União Europeia, no histórico referendo Brexit. A ideia da separação da Califórnia , no entanto, surgiu em 2014. E a vitória do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais, no dia 8 de novembro deste ano, reaqueceu o sonho do grupo californiano de se tornar um país soberano e independente.

O Estado foi um dos poucos onde a democrata Hillary Clinton teve a maioria dos votos – a Califórnia se identifica historicamente com o Partido Democrata e também possui uma vasta população latina. Além da insatisfação com a escolha de Donald Trump, os partidários do "Calexit" afirmam que querem deixar os Estados Unidos já que, segundo eles, o seu Estado seria a sexta maior economia do mundo, seus cidadãos pagam mais impostos do que recebem em retorno do governo norte-americano e seus habitantes são distintos culturalmente do resto do país.

LEIA MAIS: Trump quer retirar de maneira rápida os EUA de acordo climático, diz fonte

O primeiro passo dos participantes da "Yes California Independence Campaing" foi apresentar um documento intitulado "Calexit: Plebiscito para a Independência da Califórnia em 2019". Para que o mesmo seja aprovado, no entanto, deverá receber ao menos 500 mil assinaturas, o que permitiria que aparecesse na cédula de votações das eleições estaduais de novembro de 2018.

LEIA MAIS:  Plebiscito do Reino Unido renova esperanças de grupos separatistas no Brasil

Além disso, o documento terá validade somente se ao menos 50% dos eleitores da Califórnia votarem no referendo e mais de 55% deles responderem "sim" à pergunta "a Califórnia deve se tornar um país livre, soberano e independente?". Se o plebiscito for aprovado e o "Calexit" receber a maioria, o grupo afirmou que solicitará a criação da "Nova República Independente da Califórnia" e a participação da nova nação na Organização das Nações Unidas (ONU).

* Com informações da Agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.