Tamanho do texto

Durante visita à Grécia, presidente americano se disse surpreso com a eleição do republicano e defendeu luta contra medos para evitar populismos

Presidente americano,Barack Obama se encontrou com o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, em Atenas
Divulgação/Alexis Tsipras
Presidente americano,Barack Obama se encontrou com o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, em Atenas

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira (15) que ficou surpreso com o resultado da eleições americanas, que deram ao republicano Donald Trump, o direito de sucedê-lo na Casa Branca. Na Grécia, onde faz sua última viagem à Europa  antes de deixar a presidência, o democrata também afirmou que "o medo dos americano depois de uma crise longa" ajudou a eleger Trump. As informações são da agência Ansa. 

"A agenda dos meus oito anos de governo na Casa Branca mirava, justamente, enfrentar os medos, as ânsias dos cidadãos norte-americanos depois de uma longa crise. E, justamente essas ânsias, alimentaram o fenômeno Donald Trump e os republicanos no Congresso passaram muito tempo não me ajudando a enfrentar", disse Obama .

LEIA TAMBÉM:  Após eleição de Trump, racismo ganha força e Michelle Obama é vítima de ataque

De acordo com o presidente, os sentimentos de "raiva, frustração e desigualdades econômicas" geram populismos. "A lição que levo é que primeiro precisamos enfrentar essas desigualdades e estes medos para que no futuro menos se alimentem os populismos", concluiu o presidente americano.

Após reunião com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, Obama defendeu que os credores diminuam o débito do país e criticou as regras de austeridade impostas à Grécia. "Os credores não podem exigir a austeridade como estratégia, pois é preciso ir por uma estrada de um duradouro crescimento econômico", disse. Essa é a primeira visita de um presidente norte-americano à Grécia em 17 anos. 

LEIA TAMBÉM:  Japoneses levam 48 horas para reparar cratera gigante e avenida é reaberta

Próximos destinos da viagem final

A segunda parada de Obama em sua última viagem internacional antes de passar o comando dos EUA a Trump, no dia 20 de janeiro, será Berlim. Nesta etapa, a consulta popular que referendou a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brexit, deverá ser um dos principais assuntos da reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, na próxima quinta-feira (16).

*Com informações da Agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.