Tamanho do texto

Caso ocorra, encontro deve ser o último entre Obama e Putin antes que o presidente eleito, Donald Trump, assuma a Casa Branca no dia 20 de janeiro

Encontro ocorreria durante a cúpula deste ano da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico nos dias 19 e 20 de novembro
Reprodução
Encontro ocorreria durante a cúpula deste ano da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico nos dias 19 e 20 de novembro


Os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da Rússia, Vladimir Putin, podem realizar uma reunião bilateral histórica no próximo fim de semana em Lima, no Peru, para discutir a crise na Síria.

LEIA MAIS:  Trump convida republicano conhecido como "anti-semita" para compor seu governo

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, o encontro ocorreria durante a cúpula deste ano da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec, na sigla em inglês), que será nos dias 19 e 20 de novembro.

"É claro que, se houver um encontro - e isso não pode ser excluído -, obviamente se falará da Síria, já que é a questão mais atual de todas", explicou Peskov.

LEIA MAIS:  Professora é presa após ser acusada de fazer sexo e trocar 'nudes' com alunos

Se a reunião ocorrer, provavelmente será a última entre Obama e Putin, já que em 20 de janeiro de 2017 o republicano Donald Trump, mais amigável ao russo, assumirá a Casa Branca.

As divergências entre Moscou e Washington têm sido um dos maiores entraves para uma solução da crise síria, já que Putin defende uma transição que inclua o presidente Bashar al Assad, hipótese que é rechaçada veementemente por Obama.

Após a vitória de Trump na corrida eleitoral à Casa Branca,  a relação dos EUA com a Rússia tende a melhorar
People/Reprodução
Após a vitória de Trump na corrida eleitoral à Casa Branca, a relação dos EUA com a Rússia tende a melhorar


Nova Era

Após a vitória de Trump na corrida eleitoral à Casa Branca,  o elo dos EUA com a Rússia tende a melhorar. 

Putin chegou a afirmar "que as relações entre o seu país e os Estados Unidos poderão sair da crise". O russo afirmou "estar seguro no diálogo entre Moscou e Washington, que deve se basear no respeito recíproco, atendendo aos interesses dos dois países", divulgou o Kremlin.

Os Estados Unidos e a Rússia são os maiores adversários políticos no cenário internacional, em um conflito ideológico e de interesses que perdura desde a Guerra Fria (1945-1991).

LEIA MAIS:  Juiz Moro interroga mulher de Eduardo Cunha na quinta-feira

Durante toda a campanha eleitoral à Casa Branca, Putin e Trump trocaram elogios. "Ele representa os interesses das pessoas comuns, que criticam aqueles que estão há anos no poder, gente a quem não agrada a transferência do poder por herança", disse Putin meses atrás, em uma clara referência à Hillary, mulher do ex-presidente Bill Clinton.

* Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.