Tamanho do texto

Explosão de caminhão-bomba também deixou cerca de 120 feridos, segundo imprensa local; atentado seria represália a bombardeio promovido pela Otan

Grupo de talebans explodiu um caminhão-bomba e conseguiram entrar no consulado alemão na cidade de Mazar-e-Sharif
Reprodução/Twitter - @shaakib
Grupo de talebans explodiu um caminhão-bomba e conseguiram entrar no consulado alemão na cidade de Mazar-e-Sharif

Um atentado perto do consulado da Alemanha no Afeganistão  matou ao menos seis pessoas e deixou mais de 120 feridos. O ataque ocorreu na noite desta quinta-feira (10) em Mazar-e-Sharif, na província de Balkh, e teria sido cometido por talebans, segundo a imprensa local.

Integrantes do Taleban explodiram um caminhão-bomba e conseguiram entrar no consulado, segundo informou o ministro alemão das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier. De acordo com fontes locais, não há nenhum vítima alemã. Mas duas pessoas teriam morrido por um erro das forças da Alemanha que faziam a segurança do consulado e as confundiram com terroristas.

"A sede diplomática foi atacada por terroristas com armas pesadas. Após combates, ocorridos na superfície e no edifício do consulado, conseguiram neutralizar os invasores", disse o ministro.

O atentado ocorreu em represália à morte de civis em um bombardeio da Otan na semana passada.

LEIA TAMBÉM:  A afegã que virou "Mohammed" por seis anos para ir à escola sob o Taleban

De acordo com fontes policiais ouvidas pela rede BBC, ao menos um suspeito de envolvimento com o atentado foi preso. 

A explosão do caminhão provocou grandes danos ao prédio do consulado alemão e deixou uma enorme cratera na rua, virando vários carros que estavam estacionados próximos ao local. Algumas fotos divulgadas em redes sociais mostram também que as janelas de vários prédios ao redor do consulado da Alemanha em Mazar se quebraram por conta do ataque.

Ainda segundo reportou a BBC, as autoridades afegãs estão investigando agora se havia uma segunda bomba utilizada no ataque da noite desta quinta-feira.

LEIA TAMBÉM:  Após segunda noite de protestos nos EUA, Trump acusa mídia de incitação

Medo

Por conta de ataques terroristas envolvendo simpatizantes talebans e integrantes do Estado Islâmico, muitos afegãos têm deixado o país nos últimos anos em busca de paz.

Segundo as Nações Unidas, as nações do Afeganistão, Burúndi, Cáucaso, Colômbia, República Democrática do Congo, Iraque, Somália, Sudão, Síria e Iugoslávia são responsáveis pela crise que atinge 1% da população mundial.

Responsável por sequestros, estupros, ataques suicidas e um histórico que inclui ainda um grande leque de outras atrocidades, o Taleban impõe o terror no Afeganistão há décadas, especialmente a partir do momento que o grupo capturou a capital do país, Cabul, em 1996.

*Com informações da Ansa


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.