Tamanho do texto

Magnata diz que considera "injusta" a reação da população nas ruas; 100 pessoas foram detidas nos protestos que ocuparam pelo menos 25 cidades

Trump foi eleito presidente dos EUA na madrugada da última quarta, ao derrotar a candidata democrata, Hillary Clinton
Reprodução/Twitter
Trump foi eleito presidente dos EUA na madrugada da última quarta, ao derrotar a candidata democrata, Hillary Clinton

Pela segunda noite consecutiva,  os Estados Unidos foram palco de protestos contra o recém-eleito presidente, o magnata republicano Donald Trump. Sob o slogan "Trump não é meu presidente", os manifestantes saíram às ruas de várias cidades do país para denunciar que Trump representa o "ódio social" e que o empresário não foi escolhido por eles para assumir a Casa Branca.

Em resposta aos protestos , o presidente eleito acusou a mídia de "incitar os manifestantes". "Eu acabei de vencer uma eleição presidencial aberta e de sucesso. Agora chegam estes manifestantes profissionais, incitados pela mídia, para protestar. É muito injusto", escreveu Trump em sua conta no Twitter.

Assim como os protestos desta quinta-feira, os desta madrugada teve focos de manifestação em vários lugares. De acordo com a imprensa norte-americana, os atos ocorreram em pelo menos 25 cidades do país, os quais terminaram com 100 pessoas detidas.

LEIA TAMBÉM:  Como a vitória de Trump pode afetar o Brasil?

Cerca de 30 manifestantes foram presos em Nova York, diante da Trump Tower, na Quinta Avenida. Em Portland, no estado do Oregon, a polícia prendeu pessoas que destruíram vitrines de lojas e colocaram fogo em lixeiras públicas do centro da cidade. Também foram disparadas balas de borracha e usados spays de pimenta para dispersar os manifestantes. Em San Francisco, universitários carregaram bandeiras do México e de movimentos de apoio a gays para protestar contra Trump.

De acordo com a imprensa americana, ocorreram em pelo menos 25 cidades do país, os quais terminaram com 100 pessoas detidas
Reprodução/Twitter
De acordo com a imprensa americana, ocorreram em pelo menos 25 cidades do país, os quais terminaram com 100 pessoas detidas

Em Los Angeles, Denver e Minneapolis, a polícia precisou fechar temporariamente algumas vias para coordenar os manifestantes nas ruas.

Eleição polêmica e histórica nos EUA

Trump foi eleito o 45º presidente dos Estados Unidos  na madrugada da última quarta-feira (9), ao derrotar a candidata democrata, Hillary Clinton.

Ele conseguiu mais votos no colégio eleitoral que Hillary, a qual, no entanto, foi mais apoiada nas urnas. A democrata conquistou 47,7% dos votos nas urnas, mas apenas 232 no colégio eleitoral. Já Trump teve 47,5% dos votos, com 306 do colégio eleitoral.

Por conta desse resultado, o sistema eleitoral americano também é alvo de parte dos protestos, que condenam a contagem de votos que não leva em consideração a quantidade de apoiadores que os candidatos à eleição recebem nas urnas.

* Com informações da Agência Ansa.

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.