Tamanho do texto

Hillary recebeu pelo menos 140 mil votos a mais que o republicano; no entanto, são os votos dos delegados que determinam o resultado da eleição

Milhares de pessoas protestam na Times Square, em Nova York, contra a eleição de Donald Trump
Reprodução/Twitter
Milhares de pessoas protestam na Times Square, em Nova York, contra a eleição de Donald Trump

A noite desta quarta-feira (9) foi agitada em todas as grandes cidades americanas. Isso porque milhares de pessoas saíram às ruas para participar de manifestações contra as propostas do presidente eleito Donald Trump

Sob gritos de "Trump não é meu presidente", manifestantes levavam cartazes com palavras de ordem contra as políticas anunciadas por presidente eleito, durante a sua campanha eleitoral.  As manifestações começaram em Nova York e Chicago, mas depois se espalharam por dezenas de cidades. De acordo com dados da polícia, ao menos 30 pessoas foram detidas durante os protestos em Nova York.

A maior parte dos cartazes protestava contra o anúncio de Trump de que expulsará imigrantes ilegais e barrará a entrada de muçulmanos em território norte-americano. Muitos cartazes também lembravam das polêmicas da campanha eleitoral, como a construção do muro contra mexicanos, e dos casos denunciados de abuso sexual. 

Outros protestaram contra o sistema de votos vigente nos Estados Unidos. Isso porque Hillary recebeu pelo menos 140 mil votos da população a mais que o candidato republicano, no entanto, são os votos dos delegados que determinam o resultado da eleição.

Após uma votação bastante acirrada, o empresário conquistou as eleições com 288 votos. O novo presidente dos Estados Unidos venceu a disputa em 27 Estados. Sua adversária Hillary Clinton, do Partido Democrata , levou a melhor em apenas 19 Estados, com 215 votos.

Congresso a favor de Trump

Além da vitória do republicano sobre a candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, foram divulgados, ainda nessa quarta, os resultados das eleições de senadores e deputados. Os republicanos vão continuar dominando o Congresso porque elegeram a maioria de parlamentares nas duas casas.

Com o avanço da contagem de votos, os republicanos elegeram 51 senadores, contra 48 dos democratas. Na Câmara dos Deputados (também chamada de Câmara dos Representantes), os republicanos elegeram 239 deputados contra 193 representantes dos democratas.

O controle simultâneo, pelo Partido Republicano, da presidência dos Estados Unidos e também das duas casas do Congresso surpreendeu não só os líderes democratas, como também muitos republicanos, e é uma situação que não se via na politica norte-americana desde 2006.

Essa nova composição de poder está assustando e dividindo os líderes do Partido Democrata. Muitos consideram que os números do colégio eleitoral não representam o sentimento da população americana.

Outros, como a candidata democrata Hillary Clinton e o presidente Barack Obama, estão fazendo apelo para que todos aceitem o resultado das urnas.

Obama vai receber Donald Trump nesta quinta-feira (10) na Casa Branca para iniciar o processo de adaptação do presidente eleito, que tomará posse em 20 de janeiro de 2017. Hillary Clinton também será recebida por Obama.

LEIA TAMBÉM:  Buscas por "fim do mundo" e Canadá disparam após vitória de Trump

Ainda nesta quarta-feira, Hillary  disse que o resultado causa dor, mas insistiu que os democratas devem deixar as manifestações para as urnas e aceitar o resultado das eleições.

* Com informações da Agência Brasil.

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.