Tamanho do texto

Apenas nesta segunda-feira, 172 atividades sísmicas foram registradas na mesma região; tremor mais intenso foi de 4 graus na escala Richter

Terremotos deixam rastro de destruição na região central da Itália
Angelo Carconi/Agência Lusa/EPA/direitos reservados
Terremotos deixam rastro de destruição na região central da Itália

Um terremoto de magnitude 4 na escala Richter atingiu a zona central da Itália na noite desta segunda-feira (7). O epicentro ocorreu a uma profundidade de 13 km, na província de Macerata, região de Marcas.

LEIA TAMBÉM:  Por que a Itália sofre com tantos terremotos?

Exatos 20 minutos depois, houve uma réplica do terremoto de 2.9 graus, 9 km abaixo do solo. Segundo o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (Ingv), 17 cidades estão a até 20 km de distância do epicentro, com uma população total de 18,8 mil pessoas.

Entre elas, estão Norcia, Arquata del Tronto, Visso, Ussita, Preci e Castelsantangelo sul Nera, já devastadas pelos tremores que vêm sacudindo o centro do país  desde 24 de agosto. Apenas nesta segunda-feira, 172 atividades sísmicas foram registradas na mesma região, a maioria delas com magnitudes entre 2.0 e 3.0.

A mais forte foi a de 4.0, mas até o momento não há registros de danos ou vítimas. "Não senti, estava em Porto Sant'Elpidio para acertar com os pais dos jovens desabrigados como fazer com a escola. É triste, mas posso dizer que já estamos acostumados com um terremoto de força 4", disse o prefeito de Visso, Giuliano Pazzaglini.

Consequências dos tremores

Até a última quinta-feira (3), por causa dos tremores dos dias 24 de agosto, 26 de outubro e 30 de outubro, 26 mil pessoas já estavam sendo assistidas pelo governo italiano, sem poder retornar para suas casas.

A série de terremotos no centro da Itália já deixou 299 mortos e um rastro de destruição em cidades e vilarejos históricos das regiões de Marcas, Úmbria e Lazio.

Nessa quarta-feira (2), o presidente da Itália, Sergio Mattarella, visitou a cidade de Camerino e encontrou-se com as pessoas atingidas pelo sismo. Ele prometeu que o governo reconstruirá a região "como era antes", mesmo que isso "demande tempo", e que "trabalhará até o fim" para ajudar os afetados.

Os constantes terremotos mudaram o visual da região central da Itália, de uma boa parte dos Apeninos. Além disso, por enquanto, estão cancelados os itinerários turísticos conhecidos além das fronteiras italianas.

VEJA AINDA:  Freiras "fogem" de terremoto e violam clausura em monastério da Itália

O bairro Castelluccio de Norcia, famoso no mundo todo pelas lentilhas e procurado por estrangeiros para saltos de asa delta e de parapente, foi praticamente ao chão. "Mudou para sempre o panorama daquela zona aos pés do Monte Vettore", disse uma das testemunhas que viram o terremoto destruir tudo.

* Com informações da Agência Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.