Tamanho do texto

Depois de viver mais de dois anos em cativeiro, jovens raptadas por grupo extremista da Nigéria finalmente reveem seus parentes; veja vídeo

Grupo de 21 estudantes da Nigéria sequestradas pelo Boko Haram se reencontrou com suas famílias no domingo
Divulgação
Grupo de 21 estudantes da Nigéria sequestradas pelo Boko Haram se reencontrou com suas famílias no domingo

Lágrimas e emoção após dois anos de espera. Assim foi o reencontro de 21 estudantes nigerianas com suas famílias no último domingo (16). Elas foram mantidas durante todo esse tempo em cativeiro pelo grupo extremista Boko Haram.

LEIA MAIS: Boko Haram queima crianças vivas em atentado na Nigéria

O Boko Haram, grupo radical que prega a rejeição aos valores e à educação ocidental, sequestrou 276 meninas em uma escola na cidade de Chibok, no nordeste da Nigéria , em abril de 2014. A abdução em massa chocou o mundo e deu início à campanha internacional #BringBackOurGirls (#TragaNossasGarotasdeVolta”, em inglês). Das 276 estudantes sequestradas em 2014, 197 continuam desaparecidas.

Em uma cerimônia na capital Abuja, uma das meninas disse que elas ficaram 40 dias sem comida e quase morreram sob ataques aéreos. Os detalhes da negociação para libertar as garotas ainda não foram revelados, mas autoridades nigerianas dizem que há conversas em andamento para libertar outras estudantes.

LEIA MAIS: O campo secreto onde desertores do Estado Islâmico se escondem

Embora o governo negue que houve uma troca de extremistas do Boko Haram pelas jovens, uma autoridade de segurança disse à BBC que quatro comandantes foram libertados. Segundo a agência de notícias “Associated Press”, o governo suíço também enviou um pagamento de milhões de dólares em nome do governo nigeriano.

Desde o sequestro , algumas meninas conseguiram fugir, mas outras morreram no cativeiro e, segundo relatos, outras se casaram com membros do grupo extremista e não desejam mais voltar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas