undefined
The Telegraph/ Reprodução 15.10.2016
Estratégia adotada por Trump para acabar com imagem de Hillary surge após declaraçõs machistas serem divulgadas

Durante um comício neste sábado (15), o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou a democrata Hillary Clinton de usar drogas antes do debate em que ambos participaram no dia anterior, em New Hampshire.

LEIA MAIS:  Escândalo machista poderá "implodir" campanha de Trump?

“Eu não sei o que está acontecendo com ela, mas, no começo do nosso último debate, ela estava toda animada e, no final, toda para baixo. Quase não chegou ao seu carro”, disse Trump a eleitores. O magnata sugeriu ainda que seja realizado um exame antidoping antes do próximo debate, maracado para quarta-feira (19).

 As declarações se unem às acusações de que Hillary deveria estar presa por ter usado emails pessoais para tratar de assuntos oficiais no período em que foi secretária de Estado do país, entre 2009 e 2013. Nos últimos dias, Trump ainda afirmou que há uma “conspiração”, inclusive da imprensa, para que a candidata democrata vença a corrida eleitoral.

LEIA MAIS:  Tiroteio em restaurante de Los Angeles deixa três mortos e 12 feridos

Queda nas pesquisas

Donald Trump adotou uma estratégia para tentar acabar com a imagem de Hillary após um áudio do magnata afirmando poder "fazer qualquer coisa com as mulheres quando se é famoso" ser divulgado pelo jornal norte-americano “The Washington Post”.

Na sequência, ao menos nove mulheres declararam publicamente que sofreram assedio sexual por parte de Trump, e o candidato viu suas intenções de voto caírem  até mesmo em Estados que apoiam o Partido Republicano.

“Nada nunca aconteceu com nenhuma dessas mulheres. Tudo inventado para roubar a eleição. Ninguém tem mais respeito pelas mulheres do que eu!”, escreveu Trump em sua conta oficial no Twitter.


    Leia tudo sobre: Donald Trump

    Veja Também

      Mostrar mais