Tamanho do texto

Ao menos 12 policiais sofreram ferimentos durante manifestação na cidade de Charlotte; tensão racial teve início após policial matar suspeito negro

A prefeita de Charlotte, Jennifer Roberts, disse que a prioridade após os confrontos é
Reprodução/The Telegraph
A prefeita de Charlotte, Jennifer Roberts, disse que a prioridade após os confrontos é "manter uma comunidade segura"

A cidade de Charlotte, nos Estados Unidos, foi palco de violentos confrontos na noite desta terça-feira (20) por conta da morte de um negro pela polícia. Segundo o departamento de polícia local, ao menos 12 agentes ficaram feridos – um deles atingido por uma pedra na cabeça;

Uma multidão se reuniu na Universidade da Carolina do Norte logo após ter recebido a notícia de que um afro-americano de 43 anos chamado Keith Lamont havia sido baleado pelas forças de segurança. Segundo a polícia, ele tentou invadir um condomínio, estava armado e representava uma "grave ameaça". 

LEIA TAMBÉM:  Afegão é formalmente acusado por explosão de bomba em Nova York

O protesto começou enquanto agentes ainda interrogavam testemunhas. Os manifestantes bloquearam uma estrada da cidade e gritaram coros como "a vida dos negros importa" e "mãos ao alto, não dispare". 

Após os confrontos, a prefeita de Charlotte, Jennifer Roberts, exortou os cidadãos à calma e garantiu que a morte de Lamont será investigada. "Conversaremos com os líderes da comunidade para trabalharmos juntos", disse. 

Charlotte é a maior cidade do estado da Carolina do Norte, com 810 mil habitantes, dos quais 35% são negros. Nos últimos anos, os EUA vêm enfrentando uma crescente tensão racial por conta das recorrentes mortes de afro-americanos em operações da polícia, culminando no atentado de 7 de julho em Dallas, quando cinco agentes foram assassinados pelo negro Micah Xavier Johnson.

*Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.