Tamanho do texto

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou que a explosão foi "um ato intencional", mas descartou a possibilidade de envolvimento de terrorismo

Agência Brasil

Mesmo descartando a possibilidade de ato terrorista, Bill de Blasio observou que as investigações estão apenas começando
Divulgação
Mesmo descartando a possibilidade de ato terrorista, Bill de Blasio observou que as investigações estão apenas começando

Uma bomba de fabricação caseira explodiu na noite desse sábado (17) no bairro Chelsea, em Nova York, deixando pelo menos 29 pessoas feridas. A explosão ocorreu por volta das 20h30, no horário local. Mais tarde, a polícia descobriu que havia outra bomba em área próxima. O segundo dispositivo, no entanto, não explodiu.

A polícia bloqueou a passagem de pedestres e de veículos no local. Uma parte do serviço de metrô foi interrompida. O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que a explosão foi "um ato intencional", mas descartou a possibilidade de terrorismo. A explosão quebrou janelas de um edifício próximo, de cinco andares, provocando o lançamento de estilhaços e danificou carros. Para reforçar a segurança, integrantes da polícia e do Corpo de Bombeiro vasculharam latas de lixo situadas na área, para checar se havia outros artefatos explosivos.

LEIA TAMBÉM:  Justiça prorroga prisão de oito presos por associação ao terrorismo

Mesmo descartando a possibilidade de ato terrorista, Bill de Blasio observou que as investigações estão apenas começando. "Seja qual for a causa, os nova-iorquinos não vão ser intimidados", disse o prefeito. Ele informou que os feridos tiveram "lesões significativas", mas ressaltou que nenhum corre risco de morrer. De acordo com Bill de Blasio, muitas pessoas ficaram feridas ao ser atingidas pelos estilhaços não só da bomba, mas também dos vidros de prédios quebrados por causa da explosão.

Em Washington, a Casa Branca emitiu um breve comunicado sobre o assunto. Segundo o comunicado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi informado sobre a situação em Nova York, cuja causa permanecia sob investigação. "O presidente está sendo atualizado à medida que surjam novas informações", diz o comunicado.

LEIA TAMBÉM:  EUA dizem que ataque que matou 80 em pleno cessar-fogo na Síria foi acidental

O candidato do Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, também foi informado sobre a explosão quando fazia campanha em Colorado Springs, no Colorado. A candidata democrata, Hillary Clinton, ficou sabendo do episódio após ter feito um discurso no jantar de premiação anual da Fundação Congressional Black Caucus, em Washington.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.