Tamanho do texto

Filippo Grandi pediu para as Nações Unidas ficarem do lado dos imigrantes; entidades têm realizado atos para alertar sobre a crise migratória mundial

Grupo de refugiados tentam fazer a travessia à Europa pelos rios que marcam a fronteira entre a Grécia e a Macedônia
Manu Gomez/ Fotomovimiento -14.3.16
Grupo de refugiados tentam fazer a travessia à Europa pelos rios que marcam a fronteira entre a Grécia e a Macedônia

Mais 1,3 milhão de vozes levaram à sede das Nações Unidas, em Nova York, o apelo do Alto Comissariado da Onu para Refugiados (Acnur) sobre a crise migratória atual  junto ao chefe do órgão, Filippo Grandi, como o seu porta-voz.

Nesta sexta-feira (16), na mesma cidade, mas dessa vez no distrito Brooklyn, uma praça foi coberta por centenas de coletes salva-vidas que foram usados por imigrantes, símbolo da tragédia dos refugiados que arriscam a sua própria vida no mar para chegarem à Europa.

De acordo com  as estimativas da Organização Internacional para Migrações (OIM), que a partir desta segunda-feira (19) fará parte oficialmente da "família das Nações Unidas", apenas neste fim de semana cerca de 300 mil pessoas tentarão atravessar o Mediterrâneo até o velho continente.

LEIA MAIS: Sem Reino Unido, UE discute imigração e risco de fragmentação

"Estamos diante de uma falência da solidariedade internacional com o aumento das migrações forçadas, da xenofobia e do fechamento das fronteiras", disse Grandi apresentando ao secretário-geral da Onu, Ban Ki-moon, o apelo de "ficar do lado dos imigrantes" clandestinos.

Reunião

O pedido vem apenas três dias antes da esperada cúpula sobre refugiados e migrantes que acontecerá na sede das Nações Unidas e que reunirá chefes de Estado de vários países do mundo.

Filippo Grandi e Papa Francisco: pontífice recebeu Alto Comissário da ONU para refugiados na quinta-feira (15)
Facebook/ Filippo Grandi
Filippo Grandi e Papa Francisco: pontífice recebeu Alto Comissário da ONU para refugiados na quinta-feira (15)

Na cerimônia, participaram o ator Ben Stiller, um dos apoiadores do Acnur, e a modelo Alek Wek, embaixadora da boa vontade da agência para refugiados que fugiu do Sudão do Sul e buscou abrigo no Reino Unido.

Além dela, também são embaixadores da causa, Michael Douglas, Leonardo DiCaprio, Forest Whitaker, Stevie Wonder e Nadia Murad, símbolo feminino da resistência contra o Estado Islâmico, que foi nominada a essa posição nesta sexta.

LEIA MAIS:  Crianças já são metade do contingente de refugiados no mundo, alerta Unicef

As vozes que pedem por ajuda também se unem em outras manifestações. A ONG Oxfam, por exemplo, organizou uma iniciativa para chamar a atenção dos líderes que estarão reunidos nos Estados Unidos durante dois grandes eventos da Onu sobre a crise migratória: o organizado por Ban Ki-moon e o outro convocado pelo presidente dos norte-americano, Barack Obama.

Já a praia da comunidade californiana de Pebble Beach, em frente à famosa Freedom Tower, também foi invadida por coletes salva-vidas recolhidos no litoral grego de Quios. Os coletes são de todos os tamanhos, sendo que muitos pertenciam a crianças, o que é provado, por exemplo, pelo adesivo do ursino Pooh colado em um deles.

"65 milhões de pessoas tiveram que fugir das suas casas devido a conflitos, violência e perseguições. A responsabilidade de acolher, proteger e apoiar os refugiados deve ser dividida com todos os países", disse a Conselheira de Política Humanitária da Oxfam, Josephine Liebl.

* Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.