Tamanho do texto

Candidata democrata à Casa Branca fará sua primeira aparição pública na quinta-feira (14), após ficar três dias em casa se recuperando da doença

Agência Brasil

Hillary Clinton fará um discurso ressaltando que só a união transformará “a América em uma nação mais forte”
Divulgação - 01.09.16
Hillary Clinton fará um discurso ressaltando que só a união transformará “a América em uma nação mais forte”

A candidata do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, fará na quinta-feira (15) sua primeira aparição pública, na cidade de Greensboro, Carolina do Norte, depois de uma parada de três dias por recomendação médica . Segundo uma mensagem de texto enviada aos seguidores da campanha da candidata, Hillary fará um discurso ressaltando que só a união transformará “a América em uma nação mais forte”.

O reaparecimento de Hillary ocorre depois que o comitê da campanha da candidata anunciou que ela foi diagnosticada com pneumonia. O anúncio da doença foi feito no domingo (11), em Nova York, depois que a candidata se desequilibrou e só não caiu porque foi amparada por seguranças. Antes desse incidente, Hillary tinha participado de um evento em homenagem às vítimas do atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, quando dois aviões atingiram dois prédios de Nova York, conhecidos como Torres Gêmeas, no World Trade Center.

LEIA MAIS:  Hillary defende redução de ações e Trump pede luta pesada contra EI

Depois do anúncio da doença, Hillary cancelou a ida, na segunda-feira (12), a um evento na Califórnia, visando a arrecadar fundos para sua campanha. Ela passou os três dias de descanso em sua casa em Chappaqua, em Nova York. Segundo o porta-voz de sua campanha, Nick Merril, durante o descanso Hillary aproveitou para fazer ligações telefônicas, ler documentos e assistir pela televisão às atividades do Partido Democrata.

Ela assistiu, na segunda-feira, a um discurso do presidente Barack Obama na cidade de Filadélfia. Ele representou Hillary em um evento político na cidade. No discurso, Obama disse, em meio a aplausos, que “realmente deseja que Hillary Clinton seja eleita presidente dos Estados Unidos” porque não há nenhum outro candidato com mais experiência na política doméstica e no exterior do que ela.

Informações médicas

O comitê de campanha de Hillary divulgou nesta quarta-feira (14) detalhes sobre os medicamentos que foram receitados pelos médicos para a candidata. Ela foi aconselhada a tomar antibióticos durante dez dias e foi submetida a uma tomografia computadorizada, que revelou que ela tinha uma pneumonia bacteriana leve, não-contagiosa. Ela foi tratada com o medicamento Levaquin.

LEIA MAIS: Com Trump em alta, Obama pede que ideias do magnata sejam contestadas

"Ela está se recuperando bem, com antibióticos e repouso. Ela continua a manter-se saudável e apta para servir como presidente dos Estados Unidos", disse a médica Lisa Bardack.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.