Tamanho do texto

Responsáveis pelo caso confirmaram à polícia local que incêndio foi intencional; líderes de mesquita relataram ter recebido diversas ameaças

Centro Islâmico de Fort Pierce, a 200 quilômetros de Orlando, foi incendiado na madrugada desta segunda-feira (12)
Twitter/Reprodução WPEC
Centro Islâmico de Fort Pierce, a 200 quilômetros de Orlando, foi incendiado na madrugada desta segunda-feira (12)


A mesquita que era frequentada pelo atirador do massacre da boate gay Pulse, em Orlando, Omar Mateen, pegou fogo na madrugada desta segunda-feira (11). A polícia local e o FBI ainda analisam os vídeos do Centro Islâmico de Fort Pierce, a 200 quilômetros de Orlando, mas os responsáveis pelo caso confirmaram que se trata de um incêndio criminoso, de acordo com a emissora americana "WPECT-TV". 

LEIA MAIS:  Atirador fez posts no Facebook durante massacre em boate gay de Orlando

Segundo os investigadores, câmeras do local flagraram um homem arremessando um recipiente com líquido em direção ao local. Minutos depois, o edifício começou a pegar fogo. O incêndio foi apagado cerca de cinco horas depois e ninguém ficou ferido. 

Câmeras registraram momento em que um homem arremessou um recipiente com líquido em direção ao centro islâmico
Twitter/Reprodução WPEC
Câmeras registraram momento em que um homem arremessou um recipiente com líquido em direção ao centro islâmico


Líderes da mesquita disseram à polícia que já haviam recebido ameaças, inclusive de que o prédio seria incendiado. O ato criminoso aconteceu um dia após o aniversário de 15 anos dos atentados de 11 de setembro de 2001.

LEIA MAIS:  "Havia sangue por toda a parte", diz testemunha de tiroteio em Orlando

Além de Mateen, a mesquita também era frequentada por outro terrorista, o americano Moner Mohammad Abu Salha, que foi para a Síria para se tornar um homem-bomba. Segundo as investigações, os dois criminosos não eram próximos. 

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.