Tamanho do texto

Informação foi divulgada pelo Ministério da Defesa da Coreia do Sul poucos dias depois do maior teste já realizado pelo fechado regime de Pyongyang

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-um: regime mais fechado do mundo realizou 5 testes nucleares nos últimos anos
Wikimedia Commons
O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-um: regime mais fechado do mundo realizou 5 testes nucleares nos últimos anos

A Coreia do Norte está pronta para realizar um novo teste nuclear a qualquer momento. A informação foi divulgada pelo Ministério da Defesa da Coreia do Sul três dias depois de o regime  norte-coreano ter feito o quinto e maior teste nuclear  de sua história, amplamente condenado pelo vizinho do sul, Japão, Estados Unidos, União Europeia e seus aliados. 

O mais recente teste do regime da Coreia do Norte ocorreu na última sexta-feira (9), quando Pyongyang conseguiu desencadear a explosão nuclear mais poderosa de sua história – e a maior detonação atômica já registrada desde a bomba de Hiroshima, penúltimo movimento militar dos EUA na Segunda Guerra Mundial (o derradeiro foi a bomba de Nagasaki, três dias depois), responsável por mais de 140 mil mortes.

"A avaliação da inteligência sul-coreana e dos EUA é que o Norte está sempre pronto para um teste nuclear adicional na área de Punggye-ri [vilarejo próximo à fronteira da Coreia do Norte com a China]”, afirmou nesta segunda-feira (12) a porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano, Lua Sang-gyun, em entrevista coletiva. 

LEIA MAIS:  Bombardeios na Síria já mataram mais de 100 desde acordo entre EUA e Rússia

A agência de notícias estatal da Coreia do Sul, "Yonhap", relatou que o regime norte-coreano já havia completado os preparativos para outro teste nuclear utilizando um túnel.

O correspondente da "Al Jazeera" em Seul, Harry Fawcett, afirma ser quase certo que a Coreia do Norte realize dois testes neste ano. “Há algumas datas significantes chegando: o 10º aniversário do primeiro teste, em outubro; e o quinto aniversário de morte de Kim Jong-Il em dezembro”, disse à rede de notícias.

Fawcett declarou que o regime norte-coreano “está realizando uma aceleração real de seus mísseis e programas nucleares, sob a liderança de Kim Jong-Un”, e que a avaliação é levada em conta pelas autoridades da Coreia do Sul.

Contra-ataque

Logo após a confirmação do mais poderoso teste norte-coreano, fontes militares afirmaram que a Coreia do Sul tem um plano para reduzir Pyongyang "a cinzas" caso haja sinais de um iminente ataque nuclear contra seu território. Segundo a agência "Yonhap", cada parte da cidade seria "completamente destruída por mísseis balísticos e projéteis de elevado potencial explosivo".

LEIA MAIS:  Obama defende sanções ainda mais rígidas contra a Coreia do Norte

De acordo com os mesmos informantes, o ataque atingiria principalmente os bairros onde estariam escondidos os líderes norte-coreanos. A Coreia do Norte já sofreu diversas sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) nos últimos meses por conta de seus testes nucleares, mas nem isso foi suficiente para conter as ambições do líder supremo Kim Jong-un.

* Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.