Tamanho do texto

Mísseis atravessaram grande parte do território japonês e caíram no Mar do Japão; atitude foi vista como uma ameça para a comunidade internacional

Kim Jong Un no Congresso da Juventude Socialista: atitude do líder é vista com ameaça para a comunidade internacional
KCNA/Divulgação
Kim Jong Un no Congresso da Juventude Socialista: atitude do líder é vista com ameaça para a comunidade internacional


A Coreia do Norte mostrou mais uma vez sua força bélica e desafiou a comunidade internacional nesta segunda-feira (5) ao lançar três mísseis balísticos no Mar do Japão.

LEIA MAIS:  Vice-embaixador da Coreia do Norte no Reino Unido foge com a família 

De acordo com as informações do exército sul-coreano, os mísseis foram lançados de Hwangju, na região leste da  Coreia do Norte , às 12h14 (às 0h14 no horário de Brasília) e, depois de atravessarem grande parte do território japonês, caíram no Mar do Japão.

O ocorrido representa um alerta para o Japão e outros países asiáticos como a Coreia do Sul e a China porque acontece a menos de um mês de a Coreia do Norte realizar o  lançamento de um míssil balístico a partir de um submarino

LEIA MAIS:  EUA seguirão com exercício militar apesar de ameaça da Coreia do Norte

O lançamento ocorreu enquanto mandatários e representantes das 20 nações com economias mais expressivas do planeta estão reunidos em Hangzhou, na China, para a cúpula do G20, que termina ainda nesta segunda-feira.

Na próxima quinta-feira (8) a Coreia do Norte comemora o aniversário 68 anos da implementação do atual regime de governo norte-coreano. 

Cansado do regime

Diplomata era o segundo no comando da embaixada norte-coreana em Londres e disse estar
Youtube/Reprodução
Diplomata era o segundo no comando da embaixada norte-coreana em Londres e disse estar "frustrado" com seu governo







Noúltimo dia 17 de agosto, o vice-embaixador da Coreia do Norte no Reino Unido abandonou seu cargo e fugiu com sua família para a Coreia do Sul depois de afirmar que estava "cansado" do regime norte-coreano de Kim Jong Un, confirmaram autoridades sul-coreanas. Essa foi considerada uma das maiores desistências de altos funcionários do país isolado.

Thae Yong Ho, que era o segundo no comando da embaixada norte-coreana em Londres, chegou na Coreia do Sul com sua esposa e filho, disse um porta-voz do Ministério da Unificação de Seul, Jeong Joon-Hee, recusando-se a oferecer detalhes sobre a data de sua chegada, ou o seu paradeiro. O diplomata e sua família estão sob a custódia do governo sul-coreano, afirmou o porta-voz.

LEIA MAIS:  Coreia do Norte promete encerrar conversas diplomáticas com os EUA

A deserção dramática é suscetível de levantar novas questões sobre a lealdade da elite da Coreia do Norte. Altos funcionários são fundamentais para garantir a continuidade do governo do ditador Kim Jong Un, que está programado para marcar o seu quinto ano no comando do país isolado ainda este ano.

*Com informações da agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.