Tamanho do texto

Após 17 anos da abertura do processo canônico, a Igreja Católica declarou santa irmã missionária que ficou conhecida pela luta dos "pobres dos pobres"

Papa afirmou que missão da madre permanece hoje como um testemunho da proximidade de Deus junto dos mais pobres
Globo News/Reprodução 04.09.2016
Papa afirmou que missão da madre permanece hoje como um testemunho da proximidade de Deus junto dos mais pobres

Após 17 anos da abertura do processo canônico, o Papa Francisco declarou santa a madre Teresa de Calcutá neste domingo (4). A missa especial foi celebrada por volta das 5h20 (horário em Brasília) na praça de São Pedro, no Vaticano, e contou com a presença de 120 mil fiéis de todo o mundo. 

LEIA MAIS:  Papa Francisco diz que Brasil atravessa "momento triste"

"Declaramos a beata Teresa de Calcutá santa e a inscrevemos entre os santos, decretando que seja venerada como tal por toda a Igreja", afirmou o líder da Igreja Católica. A missão da madre “permanece nos nossos dias como um testemunho eloquente da proximidade de Deus junto dos mais pobres entre os pobres”, disse ainda sobre a mulher conhecida como a “santa das sarjetas”.

A canonização da detentora do Prêmio Nobel da Paz de 1979 foi autorizada em dezembro de 2015, após duas curas serem consideradas obras de madre Teresa.

Em 2003, a irmã missionária se tornou beata pelas mãos do papa João Paulo II após uma mulher indiana se curar de um tumor no abdômen ao ganhar uma medalha que antes havia sido usada pela madre. Após o milagre ser declarado, ainda era necessário mais um para que ela se tornasse santa.

LEIA MAIS:  Papa Francisco leva moradores de rua para passar dia em praia

O Papa Francisco autorizou a santificação quando a cura de um brasileiro em 2008, que se encontrava em fase terminal por graves problemas cerebrais, também foi reconhecida como intervenção da missionária.

Celebração ocorreu por volta das 5h20 na praça de São Pedro, no Vaticano, e contou com a presença de 120 mil fiéis
Globo News/Reprodução 04.09.2016
Celebração ocorreu por volta das 5h20 na praça de São Pedro, no Vaticano, e contou com a presença de 120 mil fiéis


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.