Tamanho do texto

Mais três corpos foram encontrados na última noite; autoridades italianas participam de funeral de ao menos 35 vítimas do desastre neste sábado (27)

Estadão Conteúdo

Itália decretou estado de emergência nas regiões mais afetadas pelo terremoto ocorrido na última quarta-feira (24)
Filippo Monteforte/Agence France Presse/Estadão Conteúdo - 24.8.16
Itália decretou estado de emergência nas regiões mais afetadas pelo terremoto ocorrido na última quarta-feira (24)

Autoridades italianas disseram que o número de mortos no terremoto ocorrido na quarta-feira (24) subiu para 290 pessoas, depois que equipes de resgate retiraram mais três pessoas dos escombros desde a noite desta sexta-feira (26).

Um terremoto de magnitude 6.2 atingiu o centro da Itália na quarta-feira, destruindo várias cidades de montanha e ferindo centenas de pessoas.

Na manhã deste sábado (27), teve início um funeral de Estado na cidade de Ascoli Piceno para dezenas de vítimas. A missa era celebrada pelo bispo Dom Giovanni D'Ercole em um ginásio comunitário onde 35 caixões foram colocados. O bispo instou os enlutados, que choraram e se abraçaram, a encontrar coragem para reconstruir suas casas e comunidades.

LEIA TAMBÉM:  Itália: resgate corre contra o tempo e país debate casa segura em área de risco

O acesso às cidades afetadas pelo terremoto foi limitado devido à devastação, forçando autoridades a realizar os serviços fúnebres em outros lugares.

O presidente da Itália, Sergio Mattarella, e o premiê do país, Matteo Renzi, assistem ao funeral. Mais cedo, Mattarella chegou de helicóptero em Amatrice, uma cidade de colina que foi destruída pelo terremoto e que sofreu o maior número de mortes. Ele agradeceu aos trabalhadores humanitários que trabalhavam no local e em outras cidades atingidas desde as primeiras horas de quarta-feira em busca de sobreviventes.

O trabalho de busca e resgate tem sido dificultado por centenas de tremores secundários, que continuam a ocorrer na mesma área, deslocando os escombros e colocando em risco as equipes.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.