Tamanho do texto

Autoridades acreditam que Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) esteja por trás do ataque; nenhum grupo reivindicou autoria de atentado

Fumaça é vista após explosão em posto policial da província de Sirnak, região sudeste da Turquia, nesta sexta-feira (26)
Twitter/Reprodução
Fumaça é vista após explosão em posto policial da província de Sirnak, região sudeste da Turquia, nesta sexta-feira (26)


Um ataque com caminhão-bomba matou ao menos 11 pessoas e deixou 78 feridas a 50 metros de um posto de controle policial da cidade de Cizre, na província de Sirnak, no sul da Turquia, nesta sexta-feira (26). As informações são da agência de notícias estatal Anadolu. Entre os mortos, oito eram policiais. 

LEIA MAIS:  Turquia ataca Estado Islâmico após atentado que matou 22 crianças

O Ministério da Saúde da Turquia disse que enviou 12 ambulâncias e dois helicópteros para o local. Segundo autoridades turcas, o ataque foi causado por militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), mas nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento. 

Escalada de ataques

A violência entre o PKK e as forças de segurança turca voltaram a ocorrer no ano passado, depois que ambos não conseguirem chegar a um acordo de paz. Segundo o jornal britânico "The Guardian", 600 integrantes da força de segurança turca e milhares de militantes do PKK foram mortos.  

LEIA MAIS:  50 pessoas morrem em atentado a bomba durante casamento na Turquia

Em junho, um homem-bomba se explodiu no saguão do aeroporto de Istambul , deixando 36 mortos e 147 feridos. Na ocasião, a facção jihadista Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque.  

Na última segunda-feira (22), 50 pessoas morreram e 94 ficaram feridas em atentado com homem-bomba a um casamento na cidade de Gaziantep, no sul do país. Autoridades culparam o grupo Estado Islâmico pelo ataque. Em resposta, a artilharia turca atacou bases da facção terrorista. 

De acordo com o jornal "Hurriyet", os ataques alvejaram posições ao norte da cidade de Manbij, que a força curda capturou do Estado Islâmico recentemente. Tanques e veículos blindados também foram empregados perto de Jarablus, cidade síria tomada pelos extremistas e que faz fronteira com a Turquia.

Soldados turcos fazem guarda a um bloqueio em uma ponte de Istambul durante tentativa de golpe no dia 15 de julho
Yasin Akgul/AFP/Estadão Conteúdo - 15.7.16
Soldados turcos fazem guarda a um bloqueio em uma ponte de Istambul durante tentativa de golpe no dia 15 de julho


Golpe militar

No dia 15 de julho, a Turquia sofreu uma tentativa de golpe militar, o que gerou uma escalada de violência no país. Depois de voltar ao poder, o presidente turco, Recep Erdogan,  prendeu diversas pessoas que estariam envolvidas com o golpe fracassado. 

* Com informações do Estadão Conteúdo

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.