Tamanho do texto

De acordo com o Ministério da Saúde afegão, ao menos 12 pessoas ficaram feridas na ação. Porém, a emissora "1TVNews" diz que "há mortos" no local

 Segundo informações relatadas pela mídia, diversos estudantes estariam
Reprodução/Youtube
Segundo informações relatadas pela mídia, diversos estudantes estariam "presos" dentro da instituição

Um ataque à American University em Cabul, no Afeganistão, foi registrado nesta quarta-feira (24). Segundo fontes, um grupo de homens armados invadiu a instituição e explodiu bombas perto do prédio. Porém, as informações sobre como tudo ocorreu ainda estão muito confusas.

Veja mais:  Homem-bomba ameaça explodir reféns em banco em Moscou

De acordo com o Ministério da Saúde afegão, ao menos 12 pessoas ficaram feridas no ataque . Porém, a emissora "1TVNews" afirma que "há alguns mortos" no local.

A polícia de Cabul afirmou que o ataque foi "complexo" e que forças especiais do país estão no local para tentar resolver a situação. Em entrevista à agência de notícias Associated Press, o presidente da Universidade, Mark English, disse que "está ainda tentando entender a situação".

Segundo informações relatadas pela mídia, diversos estudantes estariam "presos" dentro da instituição, sem poder sair, porque os disparos não cessam. Um grupo de 100 alunos teria fugido do local, mas outros estariam ainda dentro de salas de aula ou salas fortificadas em segurança.

Leia também:  Nigéria afirma ter matado líder do Boko Haram em ataque pela quarta vez

Manual contra ataques em escolas francesas

O governo da França lançou um plano para ensinar as crianças a como reagirem em caso de um ataque terrorista em escolas. As crianças com idade entre 13 e 14 anos também vão receber uma formação de base sobre as medidas que salvam vidas.

O ministro da Educação, Najat Vallaud-Belkacem, e o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, anunciaram nesta quarta-feira uma série de medidas a respeito de como as escolas e as crianças devem lidar com a ameaça terrorista.

Veja também:  Jovem diz ter sido sedado pelo Estado Islâmico para realizar ataque no Iraque

Cada escola terá de organizar três treinamentos por ano, incluindo um como base real de um cenário de ataque com, pelo menos, um "terrorista" dentro do prédio. As crianças vão ser ensinadas a se esconderem ou fugirem, dependendo da situação e onde estiverem.

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.