Tamanho do texto

Espionagem a jornal americano por agência de espionagem russa teria acontecido em meio a uma onda de ciberataques a organizações americanas

Espionagem ao The New York Times teria acontecido em meio a uma onda de ciberataques a organizações americanas
Pixabay/Reprodução
Espionagem ao The New York Times teria acontecido em meio a uma onda de ciberataques a organizações americanas


Investigações do FBI junto a outras agências de segurança americanas identificaram um possível ataque de hackers russos ao jornal americano "The New York Times" e outras publicações, de acordo com a "CNN". 

LEIA MAIS:  FBI investiga vazamento de emails do Partido Democrata

O "The New York Times" e o FBI, porém, ainda não confirmaram as denúncias. "Como a maioria das organizações de notícias, continuamos protegendo nossas informações contra ataques de hackers em nossos sistemas. Trabalhamos com investigadores e oficiais de justiça para reinforçar a segurança dos nossos dados", assegurou Eileen Murphy, porta-voz da jornal. 

LEIA MAIS:  Presidente do Partido Democrata renuncia após vazamento de e-mails

A espionagem teria acontecido em meio a uma onda de ciberataques a organizações americanas. Especialistas acreditam que as agências de notícias são alvos potenciais por possuirem documentos não publicados, considerados "sensíveis", que têm relação direta com o sistema político americano. 

Especialistas americanos acreditam que agências de notícias são alvos potenciais de ataque; jornal não confirma
Pixabay/Reprodução
Especialistas americanos acreditam que agências de notícias são alvos potenciais de ataque; jornal não confirma



O "The New York Times" contratou uma equipe de investigadores privados para trabalhar junto ao FBI na investigação das possíveis falhas no sistema do jornal e para saber quais documentos os hackers podem ter conseguido acesso. 

LEIA MAIS:  FBI prende 46 integrantes da máfia italiana Cosa Nostra nos Estados Unidos

O medo de ataques cibernéticos em território americano vem crescendo depois que o "Wikileaks" revelou uma série de e-mails da Convenção Nacional Democrática  uma semana antes do início do evento que nomearia a candidata democrata Hillary Clinton. Forças de inteligência dizem que há grande evidência que russos estejam por trás do ataque ao partido.