Tamanho do texto

Expectativa era de processo ser iniciado em janeiro de 2017, mas primeira-ministra Theresa May pode ser forçada a adiar separação por mais um ano

Estadão Conteúdo

Uma das razões para Theresa May adiar separação é que departamentos de comércio exterior não estarão preparados
Frantzesco Kangaris/ Agence France Presse/ Estadão Conteúdo 30.06.2016
Uma das razões para Theresa May adiar separação é que departamentos de comércio exterior não estarão preparados

O Reino Unido pode permanecer na União Europeia até o final de 2019, quase um ano depois do previsto, diz reportagem do britânico The Sunday Times. Conforme a matéria, publicada neste domingo, o alerta teria sido feito por ministros britânicos a autoridades importantes da Cidade Londres, centro financeiro londrino.

LEIA MAIS:  Suspeito de ataque a trem e uma mulher de 34 anos morrem na Suíça

De acordo com a reportagem, a expectativa era de que a primeira-ministra Theresa May invocasse o Artigo 50 do tratado da UE, que daria início à contagem de um período de dois anos para o rompimento com o bloco , em janeiro. Mas, apesar da pressão política, ela pode ser forçada a adiar essa data. Uma das razões é que departamentos de comércio exterior não estarão preparados a tempo. As eleições da França e da Alemanha também são citadas por fontes como motivos para o adiamento.