Tamanho do texto

Forças Aliadas Democráticas, grupo rebelde com origem na Uganda, teria atacado a região neste fim de semana após exército avançar contra sua base

Ataque estimulou vários protestos nas ruas contra a violência que já matou pelo menos 500 civis desde outubro de 2014
Twitter/IdaMERCI/Reprodução
Ataque estimulou vários protestos nas ruas contra a violência que já matou pelo menos 500 civis desde outubro de 2014

Um grupo rebelde é o principal suspeito de um ataque que matou ao menos 36 pessoas no Nordeste do Congo neste final de semana. O ocorrido estimulou vários protestos nas ruas contra violência, disseram as autoridades do país.

LEIA MAIS: Boko Haram divulga vídeo com meninas sequestradas em 2014

De acordo com o porta-voz do Congo, Richard Kasonga, as Forças Aliadas Democráticas (ADF, na sigla em inglês), grupo rebelde com origem na vizinha Uganda, teria atacado a região no último sábado (13) após o exército avançar contra sua base. Até então, 22 homens e 14 mulheres morreram mas, segundo autoridades, o número pode subir.

LEIA MAIS:  Estado Islâmico instala campo de recrutamento no Afeganistão

A região em torno da cidade de Beni tem sido constantemente atacada. O grupo rebelde ADF já matou pelo menos 500 civis desde outubro de 2014. O ataque aconteceu poucos dias depois do presidente do Congo, Joseph Kabila, denunciar a brutalidade dos ataques e a ameaça que isso representa para os civis.

*Com informações do Estadão Conteúdo