Tamanho do texto

Duas crianças e dois funcionários do único hospital para mulheres e crianças de Kafr Hamra estão entre vítimas; cidade é próxima a Alepo, a maior do país

Hospital bombardeado no último sábado na cidade de Millis, na Província de Idlib, no norte sírio: violência cotidiana
Médicos Sem Fronteiras/Divulgação - 05-08-16
Hospital bombardeado no último sábado na cidade de Millis, na Província de Idlib, no norte sírio: violência cotidiana

Uma série de ataques aéreos perto da cidade de Alepo, no norte da Síria, deixou ao menos 18 mortos, incluindo duas crianças e dois funcionários de um hospital, nesta sexta-feira (12). Os novos casos ocorrem dias depois de uma instituição de saúde ligada à ONG Médicos Sem Fronteiras ter sido atingida por mísseis na mesma região do país – na ocasião, foram 13 vítimas.

De acordo com as equipes de resgate, a série de ataques no norte da Síria foi perpetrada contra um mercado, um hospital e o vilarejo de Kafr Hamra. As autoridades creditam os bombardeios à oposição ao ditador Bashar al-Assad. 

Hospital para crianças

O hospital atingido é a única instituição de saúde voltada para mulheres e crianças em Kafr Hamra. Entre as vítimas, há uma enfermeira. No total, dez pessoas foram retiradas vivas dos escombros.

Kafr Hamra fica bem próxima à cidade de Aleppo, onde tropas do governo têm fechado a principal rota da oposição, deixando em estado de sítio cerca de 300 mil residentes na região síria.

LEIA TAMBÉM:  Terroristas ligados ao Estado Islâmico invadem igreja e degolam padre

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.