Tamanho do texto

Prefeito da cidade de Alvaro Obregon, Juan Carlos Arreygue, é acusado de ser o mandante de assasinato de dez pessoas ocorrido no fim de semana

Juan Carlos Arreygue é prefeito do município de Álvaro Obregón e é acusado de compactuar com o assasinato em massa
Reprodução/Facebook/ Juan Carlos Arreygue Núñez
Juan Carlos Arreygue é prefeito do município de Álvaro Obregón e é acusado de compactuar com o assasinato em massa


Quatro policiais foram presos no México pela suposta conexão com o assassinato de dez pessoas no último fim de semana, informou o governo mexicano nesta terça-feira (2). 

LEIA MAIS:  Confronto entre professores e policias deixa oito mortos no México

O governador do Estado de Michoacan, Silvano Aureoles, afirmou em entrevista para a rádio do México  "Imagen" que as autoridades inicialmente pensaram que as vítimas, encontradas em uma picape perto de um gasoduto da cidade de Alvaro Obregon, estavam de alguma forma relacionados com dutos ilegais.

Aureoles assegurou que a investigação apontou alguns policiais da cidade de Alvaro Obregon como culpados e que os envolvidos já foram presos pelas autoridades locais. 

LEIA MAIS:  A vingança por trás do massacre de onze pessoas no México

Em entrevista para o canal mexicano "Milenio", Aureoles afirmou que a investigação "aponta diretamente para o prefeito, que deu a ordem". Sem mencionar o nome do prefeito, ele disse que outros quatro oficiais da polícia foram levados para a prisão.

Aureoles disse que, no início das investigações, acreditava-se que as mortes estavam ligados com dutos ilegais
Divulgação/Facebook
Aureoles disse que, no início das investigações, acreditava-se que as mortes estavam ligados com dutos ilegais


O procurador do Estado, Jose Martin Godoy, também afirmou em uma coletiva de imprensa na noite da última segunda-feira (1º) que foi o prefeito o mandante dos asssasinatos. "Após eles serem presos, de acordo com instruções do prefeito, eles foram levados a um local em Alvaro Obregon, onde foram mortos e seu corpos levados a uma propriedade em Cuitzeo, onde foram então queimados", disse.

LEIA MAIS:  Por que o México desconfia da suposta cidade maia 

O motivo do crime parece estar relacionado a uma rivalidade sobre venda de drogas na rua, disse Aureoles

Escalada de violência

Em julho, uma chacina deixou 11 pessoas mortas em Coxcatlán , na região central do México. 11 integrantes da mesma família foram mortas. Autoridades locais acreditam que o próprio pai da família está por trás dos assasinatos. Em junho, um confronto entre professores e policiais deixou oito mortos no estado de Oaxaca , no sul do país. 

*Com informações do Estadão Conteúdo

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.