Tamanho do texto

Escolha de Hillary pode desagradar a parte liberal do Partido Democrata, mas pessoas próximas à campanha já o enxergavam como favorito há meses

Hillary Clinton é pré-candidata do Partido Democrata e vai disputar as eleições presidenciais dos EUA com Trump
John Sommers II/Getty Images North America/AFP
Hillary Clinton é pré-candidata do Partido Democrata e vai disputar as eleições presidenciais dos EUA com Trump

A pré-candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, escolheu o senador da Virginia, Tim Kaine, como seu parceiro de chapa, unindo-se a um político experiente que há muito tempo era visto como o favorito para a vaga.

A campanha de Hillary anunciou a decisão na noite desta sexta-feira (22), via Twitter, na sequência da Campanha Nacional Republicana que foi encerrada com Donald Trump como candidato do partido. Democratas esperavam que o anúncio ofuscasse o momento de Trump. Espera-se agora que Hillary comece a campanha com Kaine já neste sábado, em Miami.

"Estou muito feliz em anunciar meu companheiro de chapa: Tim Kaine, um homem que dedicou sua vida a lutar pelos outros", tuitou a ex-secretária de Estado dos EUA.

Kaine, de 58 anos, é amplamente visto como uma escolha segura, e pessoas próximas à campanha o enxergavam como favorito por meses. Ele é respeitado no Senado, possui antecedentes na política estrangeira dos EUA e é visto por Hillary e seus assessores como um parceiro forte para governar.

A escolha, no entanto, pode vir como um desapontamento para a ala liberal do Partido Democrata, onde alguns esperavam que Clinton optaria por um líder mais populista, como a senadora de Massachusetts, Elizabeth Warren, em um esforço de unir o partido na sequência de uma primária dividida. As posições de Kaine a favor dos negócios e outros assuntos deixam muitos progressistas céticos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.