Tamanho do texto

Grupo de oposição a Nicolás Maduro, Mesa de Unidade Democrática afirma que Justiça Eleitoral validou 407 mil assinaturas para convocar referendo

O grupo de oposição ao governo de Nicolás Maduro na Venezuela Mesa de Unidade Democrática (MUD) informou que a Justiça Eleitoral do país validou a primeira fase do processo de recolhimento de assinaturas para o referendo revogatório do mandato do presidente do país, iniciado no fim de abril. A MUD acusa o Conselho Nacional Eleitoral de retardar propositalmente o processo a pedido do chavismo.

Para tirar Maduro do poder, serão necessários mais de 7,6 milhões de votos em referendo na Venezuela
Palácio de Miraflores/Divulgação
Para tirar Maduro do poder, serão necessários mais de 7,6 milhões de votos em referendo na Venezuela

Segundo o secretário executivo da MUD, José Chuo Torrealba, 407 mil assinaturas foram validadas – eram necessárias 200 mil. "Não há nenhuma justificativa legal, formal ou técnica para que a próxima fase do processo não seja colocada em curso", disse o opositor.

Nessa próxima fase, serão necessárias 4 milhões de assinaturas a favor do referendo para que ele seja convocado. O CNE ainda não se pronunciou, mas segundo Torrealba isso deve ocorrer em breve.

LEIA TAMBÉM:  Presidente da França diz que 15 feridos em Nice estão entre a vida e a morte
Discurso de Donald Trump é "demagógico, populista e racista", dizem analistas

Caso a votação venha a ocorrer, o "sim", precisa ter mais de os 7,6 milhões de votos obtidos por Maduro nas eleições de 2013.

Durante o recolhimento das assinaturas, o chavismo denunciou fraudes e o CNE anulou 700 mil das 2 milhões assinaturas recolhidas. Frequentemente, membros do governo ameaçam anular o processo. Se a votação ocorrer a partir de 2017, Maduro será substituído pelo vice, também chavista. Antes disso, ocorreriam novas eleições.