Agência Brasil

Agência Brasil

undefined
Reprodução/Twitter
As negociações entre militantes das Farc e as autoridades de Bogotá tiveram início em 2012 em Havana, Cuba


A Corte Constitucional de Justiça colombiana aprovou a realização de uma consulta popular sobre o processo de paz com o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Para o presidente Juan Manuel Santos, um dos maiores apoiadores das negociações, trata-se da votação "mais importante" da história para a população de seu país.

"Será um momento histórico, verdadeiramente histórico, no qual teremos a oportunidade e a responsabilidade de fazer sentir nossa voz", acrescentou o líder.

LEIA MAIS:  Forças de segurança da Olimpíada simulam ataque terrorista em estação de trem

A data da votação, no entanto, ainda não foi definida, mas a consulta deve ser convocada depois que for alcançado um acordo de paz, cujo anúncio pode ser feito em breve.

undefined
Reprodução/Twitter
Para o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, o referendo será a votação "mais importante" da história do país


Consciente de que o seu antecessor, o líder opositor Álvaro Uribe, tem a intenção de fazer campanha a favor da abstenção, Santos conseguiu aprovar como quórum mínimo para que a decisão seja válida 13% dos eleitores ou 4,4 milhões dos colombianos.

Na cédula, o eleitor poderá escolher entre três opções: sim, não ou voto em branco.

As negociações entre militantes das Farc e as autoridades de Bogotá tiveram início em 2012 em Havana, Cuba. Com a aprovação, chega ao fim um conflito armado de mais de 50 anos na Colômbia, que já deixou mais de 220 mil pessoas mortas.

    Veja Também

      Mostrar mais