Tamanho do texto

Esta é a primeira vez desde meados da década de 1980 que as duas partes concordam com uma trégua bilateral definitiva

Agência Brasil

Presidente cubano, Raúl Castro, e líder das Farc, Rodrigo Londono, comemoram assinatura
Alexandre Meneghini/ Reuters - 23.6.16
Presidente cubano, Raúl Castro, e líder das Farc, Rodrigo Londono, comemoram assinatura

O presidente colombiano Juan Manuel Santos e o líder do grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Rodrigo Londono, assinaram nesta quinta-feira (23) um acordo de cessar-fogo bilateral definitivo, abrindo caminho para um tratado de paz que dê fim ao conflito que já dura mais de meio século. A cerimônia ocorreu na cidade de Havana, capital de Cuba.

Em comunicado, autoridades de Bogotá disseram se tratar de “um momento histórico” para o país.

Trata-se do acordo mais sólido já alcançado entre as partes, fator que dá impulso adicional às negociações de paz que ocorrem em Havana desde 2012. É a primeira vez desde meados da década de 1980 que as duas partes concordam com uma trégua bilateral.

Armas
A etapa do cessar-fogo bilateral definitivo prevê o cumprimento de um cronograma para deposição de armas e garantias de segurança para os ex-combatentes das Farc. Com o acordo, mais de 7 mil guerrilheiros devem entregar as armas.

Participaram da cerimônia o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e os presidentes de Cuba, Raúl Castro, do Chile, Michelle Bachelet, e da Venezuela, Nicolás Maduro.

As autoridades colombianas acreditam que o acordo definitivo de paz com as Farc poderá ser firmado no dia 20 de julho.