Tamanho do texto

Comissão que organizava marcha programada para dia 26 de junho afirmou que interdição é ilegal e irá recorrer a uma ação

Grupo de jovens ultranacionalistas ameaçou recorrer à violência para acabar com parada
Kemal Aslan/ Reuters 28.06.2015
Grupo de jovens ultranacionalistas ameaçou recorrer à violência para acabar com parada

As autoridades de Istambul proibiram as marchas de gays e transgêneros deste ano depois de ultranacionalistas afirmarem que não vão permitir que "degenerados" realizem os eventos em solo turco. O grupo Alperen Hearths classifiou as manifestações de imorais e ameaçou recorrer à violência.

"Às nossas autoridades estatais: não nos façam lidar com isto. Ou vocês fazem o que é necessário, ou nós o faremos. Assumiremos quaisquer riscos, iremos impedir diretamente essa parada", disse o líder provincial de Istambul do grupo, Kursat Mican, aos jornalistas na quarta-feira (15).

A Comissão da Semana do Orgulho, que organiza as paradas, declarou que a interdição é ilegal e que irá recorrer a uma ação. Uma manifestação de apoio aos transgêneros foi planejada para domingo (19) no centro de Istambul. A parada do orgulho gay anual, considerada a maior do mundo muçulmano, deveria acontecer uma semana depois, no dia 26 de junho.

Embora a homossexualidade não seja um crime na Turquia, ao contrário de muitos outros países muçulmanos, a homofobia ainda é generalizada no país.

Críticos dizem que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e seu Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), que tem raízes islâmicas, vêm mostrando pouco interesse em expandir os direitos de minorias, gays e mulheres e de serem intolerantes com dissidentes.